Telecomunicações Há 588 freguesias sem Internet de banda larga no telemóvel

Há 588 freguesias sem Internet de banda larga no telemóvel

No âmbito da renovação das licenças no próximo ano, as três operadoras de telecomunicações têm de garantir esta cobertura até ao final de 2019, segundo escreve o Jornal de Notícias.
Há 588 freguesias sem Internet de banda larga no telemóvel
O concelho de Bragança tem 16 freguesias sem acesso a banda larga móvel.
Negócios 20 de novembro de 2017 às 10:07

Ainda há 588 freguesias sem acesso a banda larga móvel, segundo um levantamento feito pela ANACOM, que, em resultado das reclamações recebidas, impôs às operadoras de telecomunicações a obrigação de, até ao final de 2019, instalar antenas capazes de abranger 75% da população naquelas localidades.

 

De acordo com a edição do JN desta segunda-feira, 20 de Novembro, os chamados pontos cegos concentram-se em territórios com pouca densidade populacional, sobretudo no Interior do país. O concelho mais afectado é o de Bragança (16 freguesias por abranger), enquanto Montalegre e Castelo Branco têm 13. Em Chaves, Odemira e no Pico, nos Açores, são 12 as freguesias que sofrem com este problema.

 

A autoridade reguladora decidiu dividir estas 588 freguesias em três grupos, sendo que cada uma das três operadoras de telecomunicações ficará responsável por 196 localizações. O mesmo jornal explica que esta obrigação decorre da renovação das licenças da MEO, NOS e Vodafone, que entra em vigor em 2018, tendo o prazo de um ano para garantir a cobertura em banda larga.

 

A velocidade mínima de transmissão de dados que as três operadoras estão obrigadas a assegurar nestas quase 600 freguesias portuguesas é de 30 Mbp por segundo. Nestes territórios, onde não há uma torre, no máximo, a 5,2 quilómetros de distância de qualquer ponto geográfico, deverá começar a aparecer o sinal de 3G ou de 4G nos telemóveis.

Os dados divulgados a 13 de Setembro pela Anacom mostraram que no final do primeiro semestre deste ano havia 6,8 milhões de utilizadores de banda larga móvel em Portugal, um crescimento homólogo de 3,5% que valeu um novo máximo histórico. Quatro em cada cinco utilizadores de internet no telemóvel envia mensagens instantâneas através de serviços como o WhatsApp ou Messenger.




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Quem os viu quem os Vê Há 3 semanas

Que faz as Autarquias para que isto não Aconteça? zero,fazer barulho com o G. Central, fazem, até Manifestações, com Empresas Privadas, aí pára,capacidade? Avontade? É melhor parar, pensar bem, antes de dar mais Autonomia às Câmaras, como aqui se vê,e nos Incêndios,na Água, não assumem Responsabilid

As Greves Políticas PCP BE PSD Há 3 semanas

É 1 Vergonha a todos os Níveis.
Mas a Maior Vergonha, o Maior Repúdio, vai para as Autarquias, num tempo em que se quer dar mais Autonomia às Autarquias, eu interrogo-me se não vai ser uma asneira, como neste caso, nos Incêndios,na Água, onde está a Responsabilidade Autárquica? Nem parece nada com

pertinaz Há 3 semanas

GRAVÍSSIMO...

E TÊM SANEAMENTO BÁSICO...???

Jose Ferreira da Silva Há 3 semanas

Mas dinheiro para "enterrar " nos Brasils , Angola e etc tinham . Só para o interior de Portugal é que não .

ver mais comentários
pub