Empresas Há oito meses que o número de insolvências cai mais de 10% ao mês

Há oito meses que o número de insolvências cai mais de 10% ao mês

A criação de novas empresas e a queda no registo de insolvências estão a evoluir a ritmos superiores a dois dígitos. Lisboa e Porto têm cerca de metade das novas aberturas e insolvências, estima a Iberinform.
Há oito meses que o número de insolvências cai mais de 10% ao mês
Bloomberg
Paulo Zacarias Gomes 07 de dezembro de 2017 às 10:37
O número de insolvências de empresas em Portugal recuou 13% em Novembro face ao mesmo período do ano passado, tendo sido o oitavo mês consecutivo em que a descida do número de companhias encerradas ficou acima dos dois dígitos (ou seja, mais de 10%), consolidando a tendência iniciada nos primeiros meses do ano.

Segundo a Iberinform (filial da Crédito y Caución), também a criação de empresas evoluiu na ordem dos dois dígitos, com o mês de Novembro a ter mais 14% de companhias constituídas do que no mesmo mês de 2016, referem dados daquela empresa de gestão de clientes para as áreas financeiras, de marketing e internacional.

Enquanto foram registadas 622 insolvências em Novembro (menos 93 que no mesmo mês do ano passado), já o número de empresas criadas ascendeu a 3.160 (cinco vezes mais), elevando o total do ano para 37.575, refere um comunicado daquela entidade.

A região de Lisboa continua a destacar-se na geração de novas firmas, tendo sido responsável por um terço do valor nacional total (12.652). Segue-se o Porto, com menos de um quinto (6.588), e Braga com 2.742 novas empresas. Foi nos sectores de outros serviços (quase metade do total), hotelaria e restauração e comércio a retalho que ocorreram a maioria das novas criações de empresas. 

Já as insolvências totalizaram 5.849 desde o início do ano, menos 12,5% que o período de Janeiro a Novembro do ano passado. As duas principais cidades do país também se destacam no momento de contabilizar as empresas que deixaram de ter condições para cumprirem com as suas responsabilidades financeiras: no conjunto, 2.805, quase metade do total nacional.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub