Banca & Finanças Hackers acederam a contas de 400 mil clientes do Unicredit

Hackers acederam a contas de 400 mil clientes do Unicredit

O banco confirma que não foram roubadas passwords, mas os hackers poderão ter tido acesso a dados pessoais e bancários de cerca de 400 mil clientes.
Hackers acederam a contas de 400 mil clientes do Unicredit
Bloomberg
Rita Faria 26 de julho de 2017 às 11:47

Piratas informáticos acederam a dados de cerca de 400 mil clientes do Unicredit, o maior banco de Itália, em dois ataques realizados nos últimos dez meses, em Setembro e Outubro de 2016, e Junho e Julho deste ano.

 

A informação foi confirmada pelo próprio banco esta quarta-feira, 25 de Julho, num comunicado onde o Unicredit garante que os hackers não roubaram as passwords dos clientes, mas podem ter tido acesso a dados pessoais e bancários.

 

A instituição italiana refere que os ataques foram levados a cabo através de um parceiro comercial externo, que não foi identificado. O Unicredit também não explica como os hackers acederam aos dados dos clientes nem quando é que teve conhecimento do ataque.

 

De acordo com uma fonte próxima da instituição, citada pela Bloomberg, o Unicredit só teve conhecimento da falha de segurança no início desta semana.

 

"O banco adoptou imediatamente todas as medidas necessárias para evitar que estes ataques se repitam", garantiu o Unicredit, no comunicado.

 

Daniele Tonella, responsável pelo departamento de TI do Unicredit, assegurou ainda que nenhum dos dados a que os hackers tiveram acesso foram utilizados para qualquer transacção financeira.

 

"Não há danos materiais para o banco e para os seus clientes decorrentes destes ataques", afirmou Daniele Tonella, CEO da UniCredit, citado pela Bloomberg. O responsável acrescentou ainda que a falha de segurança envolveu clientes com créditos pessoais no Unicredit.

 

A Reuters recorda que, em Novembro passado, hackers roubaram mais de 2,5 milhões de libras (cerca de 2,8 milhões de euros) do Tesco Bank, naquele que foi o maior ataque deste género divulgado pelo Reino Unido.

 

As acções do Unicredit estão a desvalorizar 0,94% para 16,86 euros, depois de terem chegado a cair um máximo de 1,41% para 16,78 euros. 

 

 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub