Energia Haitong: Acordo entre a Petrobras e a Total é "positivo" para a Galp

Haitong: Acordo entre a Petrobras e a Total é "positivo" para a Galp

A Total vai tomar uma posição de 22,5% no bloco 11 na Bacia de Santos, no pré-sal brasileiro, onde a Galp detém 10%.
Haitong: Acordo entre a Petrobras e a Total é "positivo" para a Galp
Bruno Simão/Negócios
André Cabrita-Mendes 22 de dezembro de 2016 às 10:22

A francesa Total é a mais recente parceira da Galp no petróleo brasileiro. A gaulesa chegou a acordo para comprar vários activos à Petrobras. O negócio ficou fechado por 2,2 mil milhões de dólares (2,1 mil milhões de euros) e inclui a participação em vários campos petrolíferos.

Analisando o negócio, o Haitong considera que o mesmo é "positivo" para a Galp, por um "importante actor como a Total reforçar a sua presença no pré-sal no Brasil e, especialmente, por se vir a tornar num parceiro no bloco 11".

A Galp está presente na bacia de Santos em três blocos: 8, 11 e 24. E a Total vai ficar com uma posição de 22,5% no bloco 11, onde a Galp detém 10% e o BG Group 25%.

"Pensamos que de um ponto de vista estratégico a presença da Total nestes blocos vai acrescentar valor à avaliação do campo de Iara, assim como ao seu desenvolvimento e produção", concluiu o Haitong.

Além do bloco 11, a Total também vai ganhar posição na bloco 8, onde vai passar a operadora com ma posição de 35%, passando a ser parceira da Repsol, com o Haitong a considerar que a operação também vai ser "positiva" para a petrolífera espanhola.

O BPI, por seu turno, analisou o negócio entre a Petrobras e a Total e considera que o mesmo é "positivo estrategicamente", e vai permitir que estes "activos estratégicos sejam capazes de atrair mais capital estrangeiro, melhorando as condições de crédito e aumentar as capacidades de pesquisa e exploração".

O negócio entre a Petrobras e a Total também incluiu uma parceria 50-50 em duas centrais térmicas no estado da Bahia, com uma com capacidade instalada de 322 megawats. A Petrobras vai ficar com a opção de tomar uma posição de 20% na área de Perdido Foldbelt, na área mexicana no Golfo do México.


Nota:
A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro. 



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 22.12.2016


Comemorações Oficiais

Ladrões PS- PCP- BE- FP- CGA - 40 ANOS A ROUBAR OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO


MAIS UM ORÇAMENTO CRIMINOSO DA GERINGONÇA E DOS SEUS APOIANTES.

Mais despesa

Mais dívida

Mais juros

Mais impostos

MAIS DESIGUALDADE SOCIAL


comentários mais recentes
Anónimo 22.12.2016


Comemorações Oficiais

Ladrões PS- PCP- BE- FP- CGA - 40 ANOS A ROUBAR OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO


MAIS UM ORÇAMENTO CRIMINOSO DA GERINGONÇA E DOS SEUS APOIANTES.

Mais despesa

Mais dívida

Mais juros

Mais impostos

MAIS DESIGUALDADE SOCIAL


pub