Research Haitong corta avaliação da EDP apesar da eléctrica "parecer barata"

Haitong corta avaliação da EDP apesar da eléctrica "parecer barata"

A pressão sobre a EDP Renováveis, devido essencialmente à incerteza sobre a política energética nos EUA, o aumento da energia nuclear em Espanha e a revisão das estimativas levam o Haitong a cortar a avaliação da EDP.
Haitong corta avaliação da EDP apesar da eléctrica "parecer barata"
Miguel Baltazar/Negócios
Sara Antunes 25 de janeiro de 2017 às 10:50

"Estamos a cortar a avaliação da EDP para 3,30 euros por acção (de 3,35 euros), mas mantemos a nossa recomendação de comprar", salientam os analistas Jorge Guimarães e Nelson Rei Bernardino, do Haitong, numa nota de análise publicada esta quarta-feira, 25 de Janeiro.

 

Esta nova avaliação confere às acções da eléctrica liderada por António Mexia um potencial de valorização de 20,79% face à actual cotação (2,732 euros).

 

O banco de investimento justifica a redução de avaliação, de cinco cêntimos, com três questões: a queda da EDP Renováveis em bolsa, a revisão de estimativas e o alargamento do programa nuclear em Espanha. Estes são os factores que pesaram na nova avaliação e que "mais do que anulam o impacto positivo" do facto de a avaliação ser agora para o final deste ano.

 

O Haitong realça que a EDP "é a única utility ibérica onde o nuclear tem um impacto negativo" na avaliação, "devido à sua grande posição [na energia] hídrica", explica o banco de investimento.

 

Apesar desta revisão, o banco de investimento continua positivo em relação à EDP, considerando mesmo que esta "parece barata".

 

Um dos factores que deverão sustentar a acção é a recuperação da EDP Renováveis, cuja actual "cotação parece demasiado baixa". A empresa liderada por João Manso Neto tem estado sob forte pressão desde que as eleições nos EUA ditaram a vitória de Donald Trump. A expectativa é que a aposta em energias renováveis diminua, sendo que a incerteza em torno do que é que a administração Trump vai fazer em termos de política energética é elevada.

 

O Haitong considera que a EDP Renováveis foi "excessivamente penalizada" pela incerteza nos EUA.

 

O banco de investimento fez uma nota de análise sobre as utilities ibéricas, sendo que apenas a Iberdrola supera a EDP em termos de potencial de valorização, com a Haitong a considerar que a qualidade de activos e as perspectivas de crescimento da espanhola "merecem um prémio".

 

As cotadas em análise são a EDP, a Endesa, a Gas Natural e a Iberdrola, tendo todas, à excepção da portuguesa, sido alvo de melhorias nas avaliações. 

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro. 


A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 25.01.2017

O problema da EDP e de outras cotadas que parecem baratas é que serão sempre o alvo do Bloco e do PC. Ora, como o poucochinho não pode governar sem eles, esta-se mesmo a ver onde é que Mortágua o irá buscar.

Anónimo 25.01.2017

Não vendam é só conversa de AI TANGA, não acertam uma......

Artur 25.01.2017

Vendam, Vendam, Vendam, Vendam, Vendam, Vendam, lol

pub
pub
pub
pub