Indústria Havaianas perto de terem novos donos

Havaianas perto de terem novos donos

Depois de ter comprado à Camargo Corrêa o negócio das Havaianas, a J&F está prestes a chegar a acordo para vender a empresa que detém a marca por pouco menos de mil milhões de euros.
Havaianas perto de terem novos donos
Negócios 09 de julho de 2017 às 17:06
Entre 3,3 mil milhões de reais e 3,5 mil milhões de reais (800 e 950 milhões de euros) pode ser o valor do negócio que duas "holdings" de investimento ligadas às famílias que controlam o banco Itaú Unibanco poderão desembolsar para ficar com uma participação maioritária na Alpargatas, SA, a empresa que comercializa as famosas Havaianas.

Segundo avança a Reuters, os termos do acordo poderão ficar fechados já na próxima semana, altura em que termina o acordo de confidencialidade que estava assinado entre a Cambuhy – um dos fundos que deverão avançar com a compra em conjunto com o Itaúsa – com a J&F Investimento, da família Batista, que detém 86% da Alpargatas e que, segundo a mesma notícia da agência noticiosa, tem de arranjar 10,3 mil milhões de reais (2,7 mil milhões de euros) para pagar uma multa de clemência no processo em que assumiu ter subornado quase 1.900 políticos. Além disso, a empresa tem vários empréstimos a vencer, estando a ser pressionada, segundo a Reuters, a renegociar cerca de 30 mil milhões de reais da J&F e da produtora de carne, envolvida num outro escândalo de corrupção no Brasil, a JBS.

Este poderá ser, assim, um dos primeiros activos da J&F a ser vendidos, aproveitando a valorização que a Alpargatas tem tido este ano em bolsa. Vai com uma subida de mais de 60%, valendo actualmente em bolsa mais de seis mil milhões de reais. A oferta liderada pela Cambuhy foi noticiada já em meados de Junho também pela Reuters.

A J&F comprou o controlo da Alpargatas à Camargo Corrêa em 2015, tendo desembolsado, então, 2,61 mil milhões de reais, mas entretanto vendeu algumas acções.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub