Tecnologias Hewlett Packard Enterprise quer cortar 5.000 postos de trabalho

Hewlett Packard Enterprise quer cortar 5.000 postos de trabalho

São cerca de 10% da força de trabalho da HPE, empresa que resultou da cisão da Hewlett Packard, que serão afectados pela decisão noticiada pela Bloomberg e pelo WSJ. A empresa ainda não confirmou.
Hewlett Packard Enterprise quer cortar 5.000 postos de trabalho
Bloomberg
Diogo Cavaleiro 22 de setembro de 2017 às 07:56

A Hewlett Packard Enterprise (HPE) pretende eliminar cerca de 5.000 postos de trabalho, de acordo com notícias da Bloomberg e do Wall Street Journal no final de quinta-feira, 21 de Setembro. O número corresponde a perto de 10% do total de 50.000 funcionários que trabalham na empresa americana.

 

De acordo com as fontes da Bloomberg, que não são identificadas dado que o tema ainda não é público, os cortes dos postos de trabalho deverão ter início ainda este ano. O mesmo é adiantado pelo WSJ. 

 

À agência de informação especializada, a empresa sediada em Palo Alto, que resulta da cisão da Hewlett-Packard Company que teve lugar em 2015 (a outra empresa é a HP Inc, da área das impressoras e computadores), não quis fazer comentários, não havendo confirmação sobre o número.

De qualquer forma, em Junho, como relembra o Wall Street Journal, já havia sido anunciada a intenção de reduzir em 1,5 mil milhões de dólares a rubrica de custos (1,3 mil milhões de euros, ao câmbio actual).

 

O motivo para a redução do quadro de trabalhos na tecnológica passa, de acordo com a mesma fonte, pela necessidade de ganhar competitividade face a outros fornecedores de serviços na nuvem ("cloud computing"), sendo que também o aumento dos preços de componentes informáticos justifica a decisão, segundo o Wall Street Journal.

 

Este não é o primeiro corte de postos de trabalho na HPE, que tem vindo a promover reduções de pessoal ao longo dos anos para enfrentar as alterações no mundo da tecnologia. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub