Telecomunicações Holanda aprova recurso de credores e determina falência da Oi e PT Finance

Holanda aprova recurso de credores e determina falência da Oi e PT Finance

O tribunal holandês deu razão aos credores da Oi e determinou a falência das empresas da companhia na Holanda. A Oi vai recorrer da decisão.
Holanda aprova recurso de credores e determina falência da Oi e PT Finance
Reuters
Sara Ribeiro 20 de abril de 2017 às 11:40

A Oi anunciou esta quinta-feira, 20 de Abril, que o tribunal da Holanda decidiu deferir os processos interpostos por alguns credores da operadora em Fevereiro determinando, desta maneira, a falência dos veículos da Oi em território holandês.

Os administradores judiciais da Oi tinham, em Dezembro, apresentado o pedido de conversão dos processos de protecção de credores da Oi e da PT Finance em processos de falência, que o Tribunal, já em Fevereiro, recusou.

Um grupo de credores da Oi - reunidos no International Bondholder Committee, que tem dois mil milhões de dólares em obrigações das companhias - não concordou com a deliberação e decidiu recorrer da mesma decisão.

Agora, passados cerca de dois meses, o tribunal voltou atrás e deu razão a este grupo de credores e "determinou que tais procedimentos sejam convertidos em procedimentos de falência na Holanda", lê-se no comunicado emitido pela Oi.

A operadora, que tem a Pharol como maior accionista, sublinha que "estas decisões de hoje da Corte de Apelação Holandesa estão restritas à jurisdição e lei holandesas, não são definitivas e serão objecto de recurso por parte da Oi Brasil Holdings e PTIF perante a Suprema Corte Holandesa".

Além disso, a operadora que a "Oi Brasil Holdings e PTIF continuam em recuperação judicial no Brasil e esclarece que as presentes decisões não têm impacto sobre o dia-a-dia da companhia e das suas actividades operacionais".

As companhias com sede na Holanda do universo Oi têm emitidos 6,2 mil milhões de dólares em obrigações, garantidas pela Oi.




A sua opinião16
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Moisés 23.04.2017

Moro no Brasil e sou assinante da Oi, aqui mesmo com os problemas judiciais, a Oi cresceu enquanto todas as outras operadoras só diminuiu. E a matéria diz muito bem que a falência foi apenas na Subsidiária da Oi Brasil Holding's Holanda, a atual situação dela aqui no Brasil não será afetada.

Anónimo 21.04.2017

Até o CEO da Altice está espantado com as regras laborais portuguesas que o obrigam a pagar milhares de salários a colaboradores excedentários de que a empresa já não necessita. É o que faz não se ter dado nas orelhas dos sindicalistas mais cedo... Triste paízinho roubado descaradamente por todos os ladrões, dos maiores aos mais pequeninos.

Anónimo 20.04.2017

Eu não vendo ações nenhumas da PT convertidas em Pharoç... as minhas morrem comigo ou têm de pagar por elas... PQVP

Anónimo 20.04.2017

Tristes os pobres, Alegres os tubarões que vão se aproveitando das vendas desenfreadas para abastecerem os bolsos.
Se a OI sobe nos últimos tempos, ninguém olha... mas se sai uma notícia do dia anterior, toda a gente vende.
Sr. Anónimo, "Urso Ignorante" não diria... mas 'Tuga Enganado' talvez.

ver mais comentários
pub