Transportes Hostel na Estação de São Bento foi desembargado

Hostel na Estação de São Bento foi desembargado

O "alvará de obra já foi emitido", garantiu à Lusa o presidente da Porto Vivo - Sociedade de Reabilitação Urbana que no passado dia 18 tinha embargado a obra, porque não existia ainda licenciamento.
Hostel na Estação de São Bento foi desembargado
Lusa 07 de Novembro de 2016 às 13:14
O presidente da Porto Vivo - Sociedade de Reabilitação Urbana (SRU) disse hoje à Lusa que a obra de construção de um hostel na Estação de São Bento foi desembargada, porque o "alvará de obra já foi emitido".

"O embargo já foi levantado. Emitiu-se o alvará da obra sexta-feira", afirmou hoje Álvaro Santos, presidente da SRU, numa entrevista telefónica à Lusa.

O período de licença da obra promovida pela empresa promotora, a F2IS, "é curto" e os trabalhos, na ala norte da Estação de São Bento, devem estar prontos "até ao final do ano", adiantou Álvaro Santos.

No dia 18 de Outubro, a Sociedade Porto Vivo avançou com o embargo da obra, porque não existia ainda licenciamento, recordou o responsável.

Em reunião pública da Câmara do Porto, a 19 de Outubro, o próprio Álvaro Santos informava que tinha enviado uma carta ao presidente da Infraestruturas de Portugal (IP), proprietária da Estação de São Bento, referindo a "obrigatoriedade legal" de obter licenciamento para todos projectos anunciados para aquele monumento nacional e que está inserido em zona classificada de Património Cultural da Humanidade pela Unesco.

Na sequência do embargo, a empresa promotora entregou o pedido de licenciamento e a SRU também recebeu os pareceres técnicos favoráveis da Autoridade Nacional da Protecção Civil, Direcção Geral das Cultura e Direcção Regional da Cultura do Norte.

A 5 de Outubro, quando se assinalou o centenário da inauguração da Estação Ferroviária de São Bento, o ministro do Planeamento anunciou que seriam instalados no edifício um hostel, um mercado "Time Out", uma loja "Starbucks", um café, 15 restaurantes, quatro bares e uma galeria de arte, a concluir até finais de 2017.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub