Turismo & Lazer Hotelaria abranda mas ganha em valor no primeiro trimestre

Hotelaria abranda mas ganha em valor no primeiro trimestre

A Páscoa em Abril este ano impediu um balanço menos sorridente à hotelaria nacional que continua, todavia, a crescer. Sobretudo em valor, tendo em conta uma subida dos proveitos em 13,5% para os 448,9 milhões de euros.
Hotelaria abranda mas ganha em valor no primeiro trimestre
Paulo Duarte
Wilson Ledo 16 de maio de 2017 às 13:20

A hotelaria portuguesa assinalou 3,4 milhões de hóspedes no primeiro trimestre de 2017, uma subida homóloga de 6,7%. Já as dormidas cresceram 5,6% para os 8,8 milhões. Os dados do Instituto Nacional de Estatística foram revelados esta terça-feira, 16 de Maio.

Apesar da evolução positiva nos dois indicadores, o ritmo de crescimento está a abrandar face ao passado. O fenómeno é explicado, em parte, pela contracção das dormidas de residentes portugueses.


De Janeiro a Março, a estada média fixou-se nas 2,57 noites e a taxa de ocupação nos 34,9%.


Um dos crescimentos mais assinaláveis está nos proveitos totais, com mais 13,5% para os 448,9 milhões de euros. Também o retorno por quarto cresce a dois dígitos, para 27,2 euros.


À excepção do Alentejo, todas as regiões apresentam crescimento. O destaque vai para Lisboa e Açores, com uma evolução acima dos 10%.


A contribuir para este desempenho trimestral está o mês de Março, com uma certa estabilização no número de hóspedes nos 1,4 milhões (+0,9%) e no número de dormidas (-0,2%).


O cenário é justificado pelo facto de a Páscoa este ano ter calhado em Abril quando em 2016 tinha sido em Março. Efeito notório na evolução do mercado espanhol nesse mês, com uma quebra de 43,7%.


Ainda assim, a hotelaria conseguiu um encaixe maior, com os proveitos a subir 9,9% para os 188,9 milhões de euros. Desse bolo, Lisboa e Algarve pesam mais de metade.


Em Março, só Lisboa, Açores e Madeira registaram uma evolução positiva no número de dormidas. A estada média nacional fixou-se nas 2,67 noites e a taxa de ocupação recuou 1,6 pontos percentuais para os 39,8%.


"Apesar da Páscoa ter sido este ano em abril e não em Março como em 2016, houve, ainda assim, uma manutenção no número de hóspedes e, mais positivo, um crescimento muito assinalável dos proveitos hoteleiros, o que significa que Portugal está a conseguir crescer em valor", reagiu a secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, em comunicado.


A responsável destacou ainda a diversificação dos mercados emissores, com os crescimentos mais assinaláveis dos mercados brasileiro (87,3%), polaco (43,9%) e norte-americano (30,4%).


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
}
pub