Transportes Hyperloop: correr a Europa a 1.000 km/h dentro de um tubo

Hyperloop: correr a Europa a 1.000 km/h dentro de um tubo

Depois de ter feito semelhantes propostas para os Estados Unidos - onde está sediada e onde tem realizado testes nos últimos anos - a Hyperloop propõe agora nove possíveis corredores na Europa. O mais próximo de Portugal ligaria Madrid a Tânger.
Hyperloop Hyperloop Hyperloop Hyperloop Hyperloop Hyperloop Hyperloop Hyperloop Hyperloop
Negócios 07 de junho de 2017 às 17:56

A tecnologia em desenvolvimento Hyperloop One, que propõe o transporte de pessoas e mercadorias a alta velocidade dentro de cápsulas, está a fazer a primeira aproximação concreta à Europa, com a apresentação de nove possíveis corredores continentais onde esta forma de deslocação poderia ser implementada.

Directores da Hyperloop estiveram esta terça-feira, 6 de Junho, reunidos com responsáveis europeus para apresentar formas de transformar o transporte no Velho Continente. As rotas propostas na cimeira "Vision for Europe" ligariam mais de 75 milhões de pessoas em 44 cidades, espalhando-se por um percurso total de cinco mil quilómetros.

A escolha das rotas resulta duma primeira selecção realizada desde há um ano a esta parte no âmbito do "The Hyperloop One Global Challenge" e que envolveu a análise e votação de ente 600 propostas candidatas.

Córsega-Sardenha, Estónia-Finlândia, Espanha-Marrocos, três corredores no Reino Unido e ligações internas na Polónia, Alemanha e Holanda são as propostas pré-seleccionadas e que serão agora submetidas a votação.

A tecnologia da empresa sediada em Los Angeles tem estado a ser desenvolvida ao longo dos últimos dois anos no deserto do Nevada nos Estados Unidos. Até ao final de 2017 a empresa terá 500 empregados dedicados ao projecto.

A possível implementação na Europa permitirá, defende a empresa, consolidar o mercado comum e dar mais opções para quem vive fora dos grandes centros, que poderiam deslocar-se de forma mais rápida, limpa e sustentável, complementando as ligações já existentes.

Os passageiros e a carga são colocados em cápsulas que são aceleradas gradualmente através de propulsão eléctrica ao longo de um túnel sob pressão. A cápsula eleva-se acima do chão recorrendo a levitação magnética e desliza a elevada velocidade por longas distâncias, com um baixo atrito.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 08.06.2017

Portugal é mesmo um palhareiro para estes ignorantes...

Anónimo 08.06.2017

E o custo de construção de uma brincadeira destas? E o preço face a um bilhete de avião?

pub