Tecnologias IBM promete criar 25 mil empregos nos Estados Unidos

IBM promete criar 25 mil empregos nos Estados Unidos

A empresa tecnológica fez o anúncio antes da CEO se encontrar com o presidente eleito, Donald Trump, esta quarta-feira, 14 de Dezembro.
IBM promete criar 25 mil empregos nos Estados Unidos
Bloomberg
Negócios 14 de dezembro de 2016 às 15:00

Ginni Rometty (na foto), directora executiva da IBM, afirmou na passada terça-feira ao USA Today que a companhia está à procura de trabalhadores nos Estados Unidos. O anunciou foi efectuado antes de uma reunião com Donald Trump, juntamente com outros executivos de empresas tecnológicas.

"Temos milhares de cargos disponíveis a qualquer momento, e pretendemos contratar cerca de 25.000 profissionais nos próximos quatro anos nos Estados Unidos", acrescenta Rometty. Segundo o relatório anual, a empresa contava no final de 2015 com cerca de 378.000 trabalhadores.

A directora avança ainda que pretende investir mil milhões de dólares (94,1 milhões de euros) no treino e desenvolvimento dos empregados norte-americanos nos próximos quatro anos.

Adam Pratt, porta-voz da IBM, afirma à Reuters que a empresa pretende recuperar o número de trabalhadores que tinha no início do ano, e que esse número aumente até 2020. O mesmo não adiantou se as contratações serão compensadas com a dispensa de pessoal ou quantos trabalhadores norte-americanos a IBM emprega actualmente.

Embora a empresa não especifique o número de trabalhadores por nacionalidade, a Reuters avança que o número de trabalhadores norte-americanos diminuiu nos últimos cinco anos até 2015. Segundo os arquivos do Departamento de Trabalho, a IBM reportou uma diminuição de participantes no plano de pensões no ano passado de 110.876 trabalhadores em 2010 para 84.350.

Quando confrontada com este facto pela mesma fonte, Ginni Rometty afirmou que as razões por detrás de um aumento da mão-de-obra após um corte nos postos de trabalho estão expostas no artigo da USA Today. O texto publicado, no entanto, não refere os recentes cortes de trabalhadores nos EUA.

Rometty faz parte de um grupo de executivos de aconselhamento de Trump na área da criação de emprego.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub