Comércio Ikea aumenta vendas em 3,8%

Ikea aumenta vendas em 3,8%

O grupo sueco dedicado ao mobiliário registou vendas de 34,1 mil milhões de euros no seu ano fiscal terminado em Agosto. Não há dados em relação às lojas portuguesas.
Ikea aumenta vendas em 3,8%
Miguel Baltazar/Negócios
Wilson Ledo 10 de outubro de 2017 às 09:58

O Ikea anunciou esta terça-feira, 10 de Outubro, um aumento de 3,8% nas suas vendas anuais, para os 34,1 mil milhões de euros.

 

Os resultados são relativos ao ano fiscal de 2017, terminado em Agosto. Questionado sobre os resultados em Portugal, um porta-voz do grupo diz não ter esses elementos disponíveis. O Ikea tem cinco lojas em Portugal: Alfragide, Loures, Matosinhos, Braga e Loulé.

 

Nas mais de 350 lojas em 29 países, a Ikea diz ter recebido 817 milhões de visitas durante o seu último ano fiscal. O grupo de mobiliário sueco emprega cerca de 149 mil pessoas.

 

Desde Setembro, o Ikea tem um novo CEO, Jesper Brodin. "No meu primeiro mês como CEO do grupo Ikea, visitei lojas onde vários países, onde tive a oportunidade de ouvir e aprender com colaboradores e clientes. Estou ainda mais convencido de que estamos no caminho certo", afirmou em comunicado.

No mesmo documento, o grupo diz-se empenhado em dar continuidade à sua aposta nas energias renováveis, tendo agora 415 turbinas eólicas.

"Isto significa que o grupo Ikea possui agora mais turbinas eólicas do que lojas a nível global, aproximando-se do objectivo de se tornar auto-suficiente a nível energético até 2020", informou a empresa.

 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub