Indústria Ikea vai vender colecção africana em 2019

Ikea vai vender colecção africana em 2019

A multinacional sueca fez uma parceria com designers africanos para aproveitar a "explosão criativa" a que se está a assistir neste continente. Os móveis vão começar a nascer em Março.
Ikea vai vender colecção africana em 2019
Celso Filipe 15 de fevereiro de 2017 às 12:11

A Ikea está a preparar a sua primeira colecção de móveis feita por designers africanos, a qual deverá começar a ser comercializada em 2019. O projecto da multinacional sueca está a ser desenvolvido em parceria com a organização sul-africana Cape Town Design Indaba.

A concepção desta colecção estará a cargo de arquitectos, designers e criativos da África do Sul, Angola, Senegal, Egipto, Quénia, Ruanda e Costa do Marfim.

Segundo o site Dezeen, os designers escolhidos para este projecto irão trabalhar em parceria com os criativos da Ikea no decurso da conferência Design Indaba, que se realizará em Março de 2017 na Cidade do Cabo, tendo como horizonte temporal a comercialização de uma colecção em 2019.

Joahnna Martin, porta-voz da Ikea, disse ao site Quartz que o objectivo de empresa passa por aproveitar a "explosão criativa" que se regista no continente africano. "Queremos aprender com a explosão criativa que se está a verificar em várias cidades de África , trabalhando com criadores de vários  países que têm perspectivas do design diferentes", afirmou.

Ravi Naidoo, fundador da Design Indaba, explicou ao Dezeen os objectivos da Ikea com esta parceria. "Eles procuram democratizar o design e ficam felizes por serem influenciados por ideias externas. Agora vão ser também inspirados pela África urbana e pelo nosso grupo pan-continental de pensadores, criadores e artistas".




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub