Media Impresa confirma negociações exclusivas com Luís Delgado

Impresa confirma negociações exclusivas com Luís Delgado

A Impresa confirmou que está em negociações exclusivas com Luís Delgado para a venda de vários activos, nomeadamente a revista Visão.
Impresa confirma negociações exclusivas com Luís Delgado
Bruno Agostinho
A Impresa recebeu "uma proposta de Luis Jorge Sales Martins Delgado, tendo aceite negociar até ao dia 31 de Dezembro de 2017, com carácter de exclusividade, a eventual aquisição por sociedade a constituir pelo referido proponente, das publicações Activa, Caras, Caras Decoração, Courrier Internacional, Exame, Exame Informática, Jornal de Letras, TeleNovelas, TV Mais, Visão, Visão História e Visão Junior", revela a empresa liderada por Francisco Pedro Balsemão em comunicado emitido para a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). 

O jornal Público noticiou esta segunda-feira, 6 de Novembro, que Luís Delgado está próximo de fechar a compra da revista Visão. O Negócios confirmou junto de fonte próxima do processo que a venda desta publicação, que está nas mãos da Impresa, deverá estar fechada entre hoje e amanhã. Ainda assim, a data limite para se fechar este processo foi fixada no final do ano, período que já tinha sido definido pela Impresa quando anunciou o interesse na venda destes activos. 

Mafalda Anjos, directora da Visão, deverá manter-se na equipa de Luís Delgado, acumulando a direcção da publicação com a função de publisher, apurou o Negócios. Ao final da tarde, numa nota da direcção publicada no website da Visão, e intitulada "Um futuro cheio de Visão", Mafalda Anjos e por Rui Tavares Guedes (director executivo) dão conta dos "novos desafios", mas prometem "o mesmo compromisso com o rigor, a isenção e o jornalismo de qualidade".

 

"Caros leitores, momentos destes merecem uma palavra especial da direcção. Dois meses e meio depois de conhecida a intenção da Impresa Publishing de alienar o portefólio das revistas, foi hoje, dia 6 de novembro, anunciada a existência de uma proposta por parte de Luís Delgado para a compra da Visão e de outros 11 títulos. A solução apresentada oferece garantias essenciais que sempre fizeram e continuarão a fazer parte do código genético da Visao: isenção, credibilidade, rigor, respeito pelos princípios éticos e deontológicos pelos quais nos pautamos e a aposta no jornalismo de qualidade", diz a nota a direcção.

 

E prossegue: "Esse é o nosso compromisso inalienável com quem nos lê, assente nos valores reconhecidos que muito nos orgulham, e que temos a responsabilidade de manter vivos, como herança de futuro. São esses valores que nos comprometemos a manter".

 

"Aos nossos assinantes e leitores, devemos uma palavra especial, porque nos apoiam e nos ajudam a garantir as condições para fazermos jornalismo de qualidade, que tem um preço. Trabalhamos todos os dias para não desiludir, com o compromisso renovado de que nos esforçaremos para fazer mais e melhor. Temos muitas ideias e muitos projectos, e contamos consigo para continuar ao nosso lado e construirmos em conjunto um futuro cheio de Visão", conclui a nota.


A Impresa deverá assim fechar a venda dos activos colocados para venda no âmbito do processo de reestruturação. O anúncio foi feito no final de Agosto e foi traçado um objectivo: ou os activos eram vendidos até ao final deste ano ou a empresa liderada por Francisco Pedro Balsemão admitia fechar as revistas. Desde então, a Impresa disse ter recebido propostas e que iria privilegiar ofertas de compra que incluíssem os trabalhadores.

Luís Delgado já desempenhou vários papéis na comunicação social. Foi presidente executivo da Lusomundo Media, foi fundador do Diário Digital, lançou a revista Time Out em Portugal e foi um dos responsáveis pelo projecto que nasceu no Mercado da Ribeira, tendo em 2015 vendido a revista e o Mercado da Ribeira ao fundo Oakley Capital Investments, proprietário do Time Out Group. O valor da operação não foi revelado. 



A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

A 1 euro vendia tudo, mas não vejo essa valorização no horizonte

sa Há 1 semana

impresa vai disparar . 1.20 eur

pub