Empresas Incêndios: Candidatura ao fundo de solidariedade da UE entregue na próxima semana

Incêndios: Candidatura ao fundo de solidariedade da UE entregue na próxima semana

O ministro do Planeamento e das Infraestruturas anunciou no Parlamento que o levantamento feito no âmbito dos incêndios na região Centro foi concluído na semana passada e que a candidatura ao fundo de solidariedade da União Europeia será agora entregue.
Incêndios: Candidatura ao fundo de solidariedade da UE entregue na próxima semana
Bruno Simão/Negócios
Maria João Babo 14 de julho de 2017 às 12:29

O ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, disse esta sexta-feira, 14 de Julho, no Parlamento que o Governo vai entregar a candidatura ao fundo de solidariedade da União Europeia na próxima semana.

O responsável adiantou na comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas que o levantamento às consequências dos incêndios na região Centro foi concluído na semana passada, que a candidatura tem de ser sustentada e que prevê entregá-la na próxima semana.

No início deste mês, na apresentação do relatório de incêndios na Região Centro, Pedro Marques tinha já adiantado que se o fundo for accionado serão "um pouco mais de 11 milhões de euros" de ajuda que poderão chegar ao território.

Segundo  noticiou então a agência Lusa, no caso de catástrofes naturais regionais, o fundo só pode ser accionado se os prejuízos directos atingirem o valor de 1,5% do PIB da Região Centro (cerca de 480 milhões de euros).

Esta sexta-feira no Parlamento Pedro Marques reafirmou a intenção de ser realizada uma reprogramação dos fundos do programa operacional regional, junto da Comissão Europeia, adiantando que "ainda ontem houve reuniões com o responsável da União Europeia para Portugal sobre a reprogramação".

"Esperamos ter acolhimento da União Europeia para essa possibilidade", disse. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub