Agricultura e Pescas Incêndios: Governo vai disponibilizar 10 milhões para a criação de parques de madeira

Incêndios: Governo vai disponibilizar 10 milhões para a criação de parques de madeira

O ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Capoulas Santos, disse esta segunda-feira que o Governo vai apoiar a criação de parques de madeira, com um montante total de 10 milhões de euros.
Incêndios: Governo vai disponibilizar 10 milhões para a criação de parques de madeira
Miguel Baltazar
Lusa 08 de janeiro de 2018 às 19:35

"O Governo irá apoiar a criação de dois tipos de parques de madeira. Um, aquele que é a nossa principal prioridade neste momento, dedicado à madeira de serração e, para isso, [será concedido] um apoio financeiro de quatro euros por tonelada aos produtores [...] e um apoio de três euros por tonelada aos parqueadores, desde que, quer no pagamento ao produtor, quer na entrega no parque, sejam respeitados preços mínimos de 25 e 46 euros, respectivamente", referiu Capoulas Santos. 

 

Em declarações aos jornalistas, no Ministério da Agricultura, em Lisboa, Capoulas Santos adiantou que também será atribuído um montante para a criação de parques para a madeira que se destina à trituração, no valor de um euro e meio por tonelada, até um limite de 250 mil euros por parque.

 

O objectivo desta medida é garantir a retirada de madeira de pinho dos terrenos ardidos durante os incêndios de 2017, de forma a "salvaguardar um património", que se deteriorará se não for tratado, adiantou o ministro.

 

"[Através] dos contactos que têm vindo a ser estabelecidos concluímos que, pelo interesse manifestado pelos representantes desta fileira, autarquias, organizações de produtores e associações podemos aspirar vir a criar, a curto prazo, entre 25 a 30 parques de madeira no caso da serração e, pelo menos, seis no que diz respeito à madeira de trituração", acrescentou.

 

Por sua vez, o secretário de Estado das Florestas, Miguel de Freitas, indicou que o período de candidaturas se prolonga durante o mês de Janeiro. "Durante o mês de Janeiro vão estar abertas, em contínuo, as candidaturas aos parques de serração, isto é, cada vez que um parque [se candidatar], será feita a vistoria para aprová-lo. Para os parques de trituração, temos um prazo até ao dia 30 de Janeiro, para a apresentação das candidaturas", concluiu.   




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Mr.Tuga 09.01.2018

O regresso da politica da distribuição de MILHÕES .....
Cada vez mais vai compensar o CRIME! Cada vez mais vai compensar atear fogos!!!!!!! Pois de seguida chovem MILHOES!!!

Prevenção??!
Penas PESADISSIMAS?!?
Não ha helicópteros para apagar fogos! Mas ha helicópteros para DESPEJAR GUITA....

Camaradaverao75 09.01.2018

Na verdade, culpar as árvores pelos incêndios é o mesmo que culpar os doentes pelo caos que se vive nos hospitais. É só medidas de circunstância que irão sair caras.

Anónimo 09.01.2018

Este potencial gatuno de terras agora quer obrigar os proprietários a arrancar os pinheiros/ eucaliptos. Como é que este tontito ainda se mantém no governo?

? 08.01.2018

De madeira? Vai arder logo

pub