Tecnologias Informático que travou o WannaCry detido pelo FBI

Informático que travou o WannaCry detido pelo FBI

Marcus Hutchins, o informático que impediu que o ataque informático WannaCry se expandisse a mais equipamentos, foi detido, avança a Reuters.
Informático que travou o WannaCry detido pelo FBI
Reuters
Paulo Zacarias Gomes 03 de agosto de 2017 às 18:49
O especialista em cibersegurança Marcus Hutchins, a quem se atribui a travagem mundial do efeito do software malicioso WannaCry em Maio, foi detido pelo FBI.

A detenção, no estado do Nevada, nos EUA, foi avançada pela Reuters, que cita fontes do U.S. Marshals Service. Aquando do anúncio não era ainda conhecida a razão para que Hutchins tivesse ficado sob custódia. "Temos conhecimento de que foi preso. (...) O caso não é nosso, é do FBI," esclareceu uma porta-voz do U.S. Marshals Service. .

Mais ao final do dia soube-se que Hutchins é acusado de criar software destinado a atacar bancos. O especialista em segurança cibernética é acusado de ter criado e distribuído um software - Kronos - que foi concebido para roubar informações relacionadas com bancos on-line, referiu a Lusa. O Kronos terá sido configurado para atacar sistemas bancários no Reino Unido, Canadá, Alemanha, Polónia e França.

Las Vegas recebeu há alguns dias um encontro de milhares de hackers para participar nas conferências de segurança informática Black Hat e Def Con.


Segundo o site especializado em cibersegurança Motherboard, a detenção do especialista terá acontecido na quarta-feira. 

Com 22 anos, Hutchins reclamou para si a descoberta do "kill switch" (comando informático) que impediu que o WannaCry - um software que, activado, bloqueia o computador e pede um resgate para ser desbloqueado - se propagasse ainda mais.

O especialista conseguiu impedir o contágio quando, ao analisar o código do software, percebeu que estava associado a um endereço na internet. Ao registar-se nesse domínio, interrompeu a propagação do "malware".

Hutchins trabalhava na altura para a Kryptos Logic, empresa de segurança informática de Los Angeles.

O WannaCry infectou centenas de milhares de computadores em Maio, afectando o funcionamento de fábricas, bancos, hospitais, escolas e lojas em mais de 150 países, incluindo Portugal.

(Notícia actualizada às 00:43 de 4 de Agosto com mais informação)



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar