Banca & Finanças Inquérito à CGD: PS lamenta novo "incidente" provocado pela demissão de Matos Correia

Inquérito à CGD: PS lamenta novo "incidente" provocado pela demissão de Matos Correia

O PS criticou esta quinta-feira o PSD e o CDS-PP devido ao impasse nos trabalhos da comissão de inquérito à gestão da CGD, lamentando o novo incidente provocado pela demissão do presidente deste órgão parlamentar, José Matos Correia.
Inquérito à CGD: PS lamenta novo "incidente" provocado pela demissão de Matos Correia
Miguel Baltazar/Negócios
Negócios 16 de fevereiro de 2017 às 21:12

"Lamentamos que tenha sido criado mais um incidente e mais ruído nesta comissão. O PS continua empenhadíssimo e esperamos que o PSD e o CDS façam a sua reflexão rapidamente", afirmou o deputado João Paulo Correia (PS).

 

O político falava aos jornalistas no final de uma reunião de mesa e coordenadores, que decorreu à porta fechada, vincando que "o que os portugueses desejam é que haja conclusões sobre as razões que levaram às necessidades de uma nova recapitalização da Caixa Geral de Depósitos (CGD)".

A reunião de hoje foi inconclusiva, pelo que foi reagendado novo encontro para terça-feira, informou o presidente em exercício da comissão, Paulo Trigo Pereira (PS).

 

O deputado socialista, que assumiu a liderança desta comissão após o anterior presidente, José Matos Correia (PSD), ter renunciado hoje ao cargo, fez uma breve declaração aos jornalistas no final da reunião que demorou cerca de uma hora.

 

Segundo Trigo Pereira, o objetivo da reunião de hoje foi saber se havia informação sobre o novo presidente da comissão por parte dos partidos (PSD e CDS-PP) que, por terem imposto esta comissão de inquérito à Caixa Geral de Depósitos (CGD) de forma potestativa, têm o dever de nomear o seu presidente.

 

Como não houve uma nomeação, Trigo Pereira reagendou para a próxima terça-feira, às 15:00, nova discussão sobre este assunto.

 

"São os partidos proponentes que têm a responsabilidade de nomear o presidente da comissão. Pela minha parte, considero que as funções que assumi serão limitadas no tempo e não vão estender-se até ao final do prazo da comissão, a 26 de Março", sublinhou.

 




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Conselheiro de Trump Há 3 dias

Nao e dificil:a direita quer apurar a verdade,a gerigonca diz que prefere antes falar da bola.Deixem a bola para os astucios do oficio.

Anónimo Há 3 dias

Ora dexem lá camaradas assim nunca vamos saber quem deve à cgd nem quem vai receber

pub