Aviação Insolvência da Monarch pode afectar hoje mais de 20 voos em Portugal

Insolvência da Monarch pode afectar hoje mais de 20 voos em Portugal

Até às 23:59 de hoje, o aeroporto de Faro pode ser o mais prejudicado pela anunciada suspensão de operações da companhia: há 12 voos agendados que podem ser afectados. Porto só deverá sentir efeito amanhã.
Insolvência da Monarch pode afectar hoje mais de 20 voos em Portugal
Paulo Zacarias Gomes 02 de outubro de 2017 às 10:11
A insolvência da companhia aérea Monarch e a suspensão de operações que decorreu dessa situação pode afectar, durante esta segunda-feira, 2 de Outubro, mais de 20 voos da companhia britânica com origem ou destino em aeroportos portugueses.

De acordo com os dados no site da ANA - Aeroportos, recolhidos próximo das 9:00, o aeroporto mais afectado pode ser o de Faro, aeroporto para o qual estão previstos 12 voos (seis partidas e seis chegadas).

A página da ANA mostra que a generalidade dos voos calendarizados para este dia pela companhia não apresenta qualquer indicação (como cancelado ou atrasado, por exemplo)  sobre o seu estado.

Em Lisboa podem ser afectados seis voos (três chegadas e igual número de partidas) até às 23:59 desta segunda-feira, enquanto no Funchal poderão ser quatro (duas chegadas e duas deslocações de regresso) os voos abrangidos.

No Porto o primeiro impacto - a verificar-se - pode ocorrer nesta terça-feira, uma vez que não há voos agendados para esta segunda-feira. Para amanhã estão marcados quatro voos, dois em cada sentido. 

No total, poderão estar em causa 22 voos da companhia aérea nos aeroportos nacionais durante o dia de hoje, depois de a empresa ter esta madrugada anunciado a entrada em insolvência justificada pelo "aumento da pressão dos custos e condições de mercado cada vez mais competitivas."

A situação levou ao cancelamento de cerca de 300 mil reservas futuras e deixou sem transporte de regresso ao Reino Unido milhares de passageiros.

O fim das operações levou as autoridades britânicas a pôr em prática, de acordo com a Reuters, a maior operação de sempre em tempo de paz para repatriamento de cidadãos britânicos, que com esta situação ficaram privados do transporte de regresso. A Autoridade de Aviação Civil vai alugar mais de 30 aviões para proceder ao seu retorno.

A companhia, que existe desde 1968, voava há mais de 40 anos para Faro, há cinco para o Funchal e desde há um ano para Lisboa. A companhia começou a voar para o aeroporto da Invicta em Abril, com ligações a Manchester, Birmingham e Luton.

(Notícia corrigida às 10:18, com número correcto de voos que poderão ser afectados)



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub