Bolsa Intel dispara perto de 10% com bons resultados

Intel dispara perto de 10% com bons resultados

A fabricante de microprocessadores reportou as contas do quarto trimestre, ontem após o fecho de Wall Street, e segue a escalar devido aos bons números e projecções optimistas para 2018.
Intel dispara perto de 10% com bons resultados
Patrick T. Fallon/Bloomberg
Carla Pedro 26 de janeiro de 2018 às 18:57

A Intel Corp. segue a disparar 9,53% em Nova Iorque, para 49,62 dólares, o valor mais alto em quase duas décadas – liderando assim o ímpeto altista nas tecnologias, que está por sua vez a levar os principais índices de Wall Street para novos máximos históricos e a caminho do melhor ‘rally’ de quatro semanas consecutivas desde 2016.

 

A tecnológica, que se viu recentemente afectada por uma falha de segurança que pode levar a que hackers usem os processadores para acederem ilicitamente a informação sensível nos servidores e PCs, projecta bons números para as receitas deste ano.

 

Com efeito, a Intel estima vendas no valor de 15 mil milhões de dólares no actual trimestre e receitas anuais de 65 mil milhões em 2018. O volume de negócios trimestral fica em linha com as projecções dos analistas inquiridos pela Bloomberg, mas o anual supera a previsão média de 63,9 mil milhões, o que agradou ao mercado.

 

O CEO da tecnológica, Brian Krzanich, tem estado a debater-se com um problema divulgado em inícios deste mês respeitante a uma falha de segurança que pode levar a que piratas informáticos acedam ilicitamente a servidores e computadores pessoais (PC), através dos processadores, para roubarem informação sensível.

 

Este "problema" suscitou novas questões quanto à confiança que os fabricantes de PC têm nos produtos da Intel, que representa mais de 90% do mercado dos microprocessadores, sublinha a Bloomberg. Mas, por agora, essa vulnerabilidade poderá estar até a jogar a favor da Intel, já que muitos proprietários de computadores pessoais estão a eliminar os sistemas mais antigos e a fazerem um ‘upgrade’ para garantirem a sua segurança.

 

No quarto trimestre de 2017, a Intel registou uma perda líquida de 15 cêntimos por acção, mas isto devido ao facto de incorporar uma provisão para impostos no valor de 5,4 mil milhões de dólares. Excluindo itens extraordinários, a Intel registou um lucro por acção de 1,08 dólares.

 

Os resultados do quarto trimestre das empresas norte-americanas estão a ser impactados pelas provisões fiscais do último trimestre, a título dos impostos que terão de pagar para repatriarem capitais que têm fora dos EUA, no âmbito da reforma fiscal da Administração Trump aprovada em Dezembro.

 

As vendas, por seu lado, aumentaram 4,3% entre Outubro e Dezembro, face ao período homólogo de 2016, para se fixarem em 17,1 mil milhões de dólares, segundo a Intel.

 

Estes resultados indicam que a transição da fabricante de microprocessadores para o negócio dos centros de dados, que rendem margens mais elevadas, está a ganhar ritmo, destaca a Reuters.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub