Turismo & Lazer Investidor russo quer construir hotel nos Açores

Investidor russo quer construir hotel nos Açores

O projecto "São Miguel Azores Lake Hotel" ficará localizado na freguesia das Calhetas, concelho da Ribeira Grande, junto ao campo de golfe da Batalha.
Investidor russo quer construir hotel nos Açores
Miguel Baltazar
Lusa 18 de Novembro de 2016 às 17:55
Um investidor russo quer construir um hotel na Ribeira Grande, ilha de São Miguel, Açores, um projecto de turismo, saúde e bem-estar orçado entre 6,5 e 7,5 milhões de euros, que deverá criar inicialmente 50 postos de trabalho, foi hoje anunciado.

"O espaço principal é o hotel, onde além dos [70] quartos vamos ter um núcleo de bem-estar. Depois teremos um alojamento adicional, supostamente será um aparthotel", afirmou em declarações à agência Lusa o representante nos Açores do investidor Russo, Alexander Plesov.

O projecto "São Miguel Azores Lake Hotel" ficará localizado na freguesia das Calhetas, concelho da Ribeira Grande, junto ao campo de golfe da Batalha, e, segundo Alexander Plesov, resultou de várias viagens de lazer que o investidor russo realizou ao arquipélago e que o levaram a gostar muito das ilhas, além de ter identificado potencial de negócio.

Alexander Plesov, gerente da empresa HLD, adiantou que a expectativa é que as obras possam arrancar em 2017, para que o projecto fique concluído e o hotel possa abrir portas "dentro de dois anos e meio".

O representante do investidor russo referiu ainda que o projecto será submetido a apoios oficiais, que espera sejam aprovados, por considerar que o investimento tem "todas as condições necessárias, quer a nível de investimento mínimo garantido, quer a nível de criação de postos de trabalho" e por ser "um projecto diferenciador na região".

"O nosso objectivo é montar aqui uma unidade hoteleira com alguns serviços adicionais. Não são serviços medicinais, porque não vamos entrar numa área tão específica, mas são serviços de saúde, que vão para além do simples SPA. Vamos ter serviços adicionais, como por exemplo, a electroterapia", revelou Alexander Plesov.

Para o presidente da Câmara da Ribeira Grande, Alexandre Gaudêncio, este é um "investimento importante e que reúne todas as condições" para ser classificado como Projeto de Interesse Regional (PIR), estando a decorrer os procedimentos normais para este efeito.

Alexandre Gaudêncio destacou que quando a autarquia elaborou um plano de turismo do concelho, há cerca de dois anos, havia 336 camas registadas na Ribeira Grande para o turismo, mas desde a liberalização do espaço aéreo em S. Miguel só em 2015 o município licenciou 26 novos alojamentos locais e este ano já rondam os 30.

"Em dois anos aumentamos em cerca de mais 50 alojamentos locais, o que para nós é muito interessante e revela bem a dinâmica económica que aqui se vive", afirmou Alexandre Gaudêncio, acrescentando que nos serviços da autarquia já deu também entrada o pedido de ampliação de uma unidade hoteleira que funciona junto à praia de Santa Barbara.

O autarca disse, ainda, que está a ser analisado, por um júri, as duas propostas apresentadas para explorar como unidade hoteleira um antigo edifício, propriedade da câmara e onde funcionou uma escola primária, localizado no centro da cidade da Ribeira Grande.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub