Energia Investigações judiciais e revisão dos CMEC: Chineses da EDP dizem que estão para ficar

Investigações judiciais e revisão dos CMEC: Chineses da EDP dizem que estão para ficar

A China Three Gorges não se sente atingida pelas investigações aos contratos CMEC e a revisão às contas do CMEC que está a ser feita pelo Governo.
Investigações judiciais e revisão dos CMEC: Chineses da EDP dizem que estão para ficar
André Cabrita-Mendes 29 de agosto de 2017 às 14:53
A China Three Gorges diz que está de pedra e cal em Portugal e garante que não se sente afectada pelas investigações judiciais e a revisão este ano dos contratos CMEC (Custos para a Manutenção de Equilíbrio Contratual).

"O investimento da CTG em Portugal é de longo prazo e nós desejamos manter este investimento, não só pelo retorno económico razoável, mas também para aumentar a ligação entre os dois países. Nós não vamos ser afectados por um único evento", disse o vice-presidente da CTG, Lin Chixue, esta terça-feira, 29 de Agosto. 

Em relação à revisão da remuneração dos contratos CMEC, no qual o Governo vai tomar uma decisão até meados de Outubro, quando a proposta de Orçamento do Estado para 2018 for apresentada, e que o Executivo já admitiu que pretende rever em baixa as contas, Lin Chixue deixa esta questão para a gestão executiva da EDP. 

"Não estamos em posição de negociar isso com o Governo, somos só um accionista da EDP, mas acho que a EDP tem uma boa comunicação com o Governo. Essa é uma discussão que devemos deixar para a gestão. Isso não deve ser discutido pelos accionistas", afirmou o gestor da CTG  - empresa liderada por Lu Chun, na foto - durante a sua visita anual a Portugal.

Já sobre as investigações aos contratos CMEC, fechados com o Governo de José Sócrates em 2007, no qual António Mexia e João Manso Neto foram constituídos arguidos em Junho, o vice-presidente da empresa chinesa limitou-se a dizer que a "CTG respeita as leis" de Portugal.




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
QUE NOJO DE PESSOA ! 29.08.2017

Olhem para a foto e vejam o MEXIA todo solícito para o chinoca, todo "tapete", todo rasteiro, todo traidor, todo vendido ...
É muito triste a atitude de certas pessoas, que, em nome dos euros que recebem, até a alma vendem, se for preciso.
QUE NOJO !

QUE NOJO DE PESSOA ! 29.08.2017

Olhem para a foto e vejam o MEXIA todo solícito para o chinoca, todo "tapete", todo rasteiro, todo traidor, todo vendido ...
É muito triste a atitude de certas pessoas, que, em nome dos euros que recebe, até a alma vende, se for preciso.
QUE NOJO !

Anónimo 29.08.2017

Ainda há muito património para vender à Three-Gorges a troco de dividendos. O final será o mesmo da EDP. Espartilhada e sem culpados e com um manto de silêncio sobre quem pode alertar e denunciar... os jornalistas.

Anónimo 29.08.2017

TODA A GENTE SABE QUE A CHINA TRABALHA EM BASE DE MÁFIAS E ESTRATÉGIAS DE CORRUPTOS COMUNAS. COMUNAS E FASCISTAS SÃO TUDO A MESMA COISA EM PÓLOS OPOSTOS. AGORA HÁ A NOVA CLASSE COMUNA BURGUESA COM CARROS DE 60 MIL EUROS. HÁ POR AÍ MUITOS COMUNAS BURGUESES. A PALAVRA POVO É SÓ PARA ENGANAR.

ver mais comentários
pub