Imobiliário Investimento em imobiliário comercial deverá atingir recorde em 2017 acima dos 2 mil milhões

Investimento em imobiliário comercial deverá atingir recorde em 2017 acima dos 2 mil milhões

O investimento superou os mil milhões de euros nos primeiros seis meses deste ano, e as estimativas da consultora Worx admitem que possa totalizar mais de 1,5 mil milhões na segunda metade de 2017.
Investimento em imobiliário comercial deverá atingir recorde em 2017 acima dos 2 mil milhões
Miguel Baltazar/Negócios
Rita Faria 18 de outubro de 2017 às 13:46

O investimento em imobiliário comercial em Portugal deverá superar, este ano, o recorde alcançado em 2015 – dois mil milhões de euros - impulsionado pela venda de portefólios pertencentes aos segmentos de escritórios e retalho.

As perspectivas são da consultora imobiliária Worx que, no seu balanço sobre o primeiro semestre deste ano, destaca que Portugal está a registar "uma excelente performance". Entre Janeiro e Junho, o investimento excedeu os mil milhões de euros, e as estimativas da Worx apontam para que, no segundo trimestre, os montantes possam superar os 1,5 mil milhões de euros.

"É expectável que 2017 venha a ser conhecido como um novo ano recorde do mercado de investimento nacional e ultrapasse a fasquia dos dois mil milhões de euros", afirma a consultora.

A Worx considera que as taxas de rentabilidade em níveis históricos e a recuperação da credibilidade económica têm ajudado a posicionar Portugal como um destino "favorável" para a recuperação económica de vários players internacionais. "Aos investidores oportunísticos, provenientes da conjuntura pós-crise juntam-se agora os investidores com perfil mais core, dispostos a pagar montantes mais elevados", sustenta o relatório.

No primeiro semestre, o investimento foi liderado pelo segmento de retalho, com um volume total de 400 milhões de euros. Apesar de este valor representar uma descida de 17,5% face ao período homólogo, a consultora considera que este mercado "promete continuar a assumir um lugar de preferência nas decisões de investimento de alguns dos principais players internacionais".

Já o segmento de escritórios registou um volume total de 298 milhões de euros, sendo de esperar "uma subida significativa no resultado final das contas de 2017". Ainda assim, destaca o relatório, a escassez de activos de qualidade em localizações prime continua a ser "o maior obstáculo" a um crescimento mais significativo deste sector.

Ao nível da Europa Ocidental, o investimento em imobiliário comercial subiu 9% nos primeiros seis meses deste ano, para um total de 80 mil milhões de euros, com o Reino Unido e a Alemanha a liderarem.

A Alemanha foi o país onde o investimento mais subiu (41%), ao passo que a Irlanda e França registaram as maiores descidas – 74% e 35%, respectivamente. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub