Transportes IP lança concurso de 65 milhões para modernização da linha da Beira Baixa

IP lança concurso de 65 milhões para modernização da linha da Beira Baixa

A Infraestruturas de Portugal lançou o concurso para a modernização do troço entre a Covilhã e a Guarda, desactivado desde 2009. Os trabalhos estarão concluídos num prazo de cerca de um ano e meio.
IP lança concurso de 65 milhões para modernização da linha da Beira Baixa
Bruno Simão
Negócios com Lusa 27 de dezembro de 2016 às 11:58

A Infraestruturas de Portugal (IP) lançou o concurso de empreitada geral de modernização do troço Covilhã/Guarda, da linha da Beira Baixa, com um preço base de 65 milhões de euros.

O anúncio do concurso público foi publicado esta terça-feira, 27 de Dezembro, em Diário da República, definindo um prazo para a execução do contrato de 540 dias contados, ou seja, cerca de um ano e meio.

No anúncio, a IP refere que com esta intervenção pretende-se "reabrir ao tráfego ferroviário em tracção eléctrica, o troço Covilhã-Guarda, com 46 km de extensão, com a contratação da empreitada geral de modernização".

O prazo para a apresentação de propostas é de 76 dias, a contar desta segunda-feira, sendo o critério de adjudicação a proposta economicamente mais vantajosa.


Esta terça-feira a IP apresenta na Guarda, numa cerimónia que conta com a presença do ministro do Planeamento e das Infra-estruturas, Pedro Marques, o plano de modernização do troço Covilhã-Guarda e o projecto de concordância daquela via com a Linha da Beira Alta.

A intervenção na Linha da Beira Baixa, um investimento de cerca de 65 milhões de euros, contempla a renovação integral de 36 quilómetros de via e a electrificação da ferrovia que faz a ligação entre as cidades da Guarda e da Covilhã, desactivada desde 2009.

Segundo a IP, a intervenção também integra, entre outros trabalhos, a reabilitação de seis pontes centenárias, a remodelação de três estações e apeadeiros, a drenagem e estabilização de taludes e a automatização e supressão de passagens de nível.


Quanto à concordância entre as Linhas da Beira Alta e da Beira Baixa, está prevista a construção de uma via com 1.500 metros nas proximidades da Guarda, que incluirá um viaduto ferroviário sobre o rio Diz. Ambos os investimentos ferroviários deverão estar concluídos no primeiro trimestre de 2019.


O ministro Pedro Marques assegurou em Setembro no Parlamento que até ao fim deste ano seria lançado o concurso para o troço entre a Covilhã e a Guarda.


O Plano Ferrovia 2020 prevê um investimento global de 2,7 mil milhões de euros no sector até 2020. O Orçamento do Estado para 2017 aponta para um investimento de 100 milhões de euros na ferrovia no próximo ano, duplicando a execução prevista para 2016.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
João Paulo 27.12.2016

Mais uma vez o Alentejo fica esquecido. O Sr Ministro Pedro Marques que dignamente representou em tempos o distrito de Portalegre como deputado da nação, e criticava o então governo que nada fazia por este distrito em termos de acessibilidades, afinal como ficamos. Mais uma vez esquecidos.

pub
pub
pub
pub