Empresas iPhone 5S e Harry Potter foram estrelas na Fnac em 2016

iPhone 5S e Harry Potter foram estrelas na Fnac em 2016

No ano passado, a Fnac comercializou 200 mil smartphones, tendo sido a categoria que registou um maior crescimento na cadeia de lojas. No caso dos livros, a Fnac vendeu mais de três milhões e meio de exemplares.
iPhone 5S e Harry Potter foram estrelas na Fnac em 2016
Jorge Paula/Correio da Manhã
Negócios 03 de janeiro de 2017 às 19:03

No top de vendas da Fnac, no ano passado, estão iPhone 5S e o último volume da saga Harry Potter. A cadeia de retalho de bens culturais e tecnológicos, que conta com 24 lojas em Portugal, vendeu mais de três milhões e meio de livros nos 12 meses do ano passado e mais de 200 mil smartphones – a categoria que mais cresceu no mercado nacional.

No que diz respeito aos smartphones, em comunicado, a empresa revela que o iPhone 5S foi o mais vendido. O Samsung Galaxy J5 foi o segundo smartphone mais vendido nestas lojas no ano passado. E, em terceiro lugar, surge o iPhone 6S.

Já em termos de literatura, a última saga de Harry Potter (Harry Potter and The Cursed Child) foi livro mais vendido. O segundo mais comercializado foi de um autor português: o Vaticanum, de José Rodrigues dos Santos. A Rapariga no Comboio, que estava na liderança desde 2014, ficou em terceiro.


No mundo dos jogos, o FIFA 2017 foi o que mais procura teve na cadeia de lojas de retalho de bens culturais, seguido pela consola Playstation 4 Slim.


Na música, os portugueses lideraram as preferências. De acordo com a empresa, a "fadista Ana Moura, com Moura, sagrou-se líder". "O segundo e terceiro lugares foram arrebatados por António Zambujo, com os discos Até Pensei que Fosse Minha -  o mais recente álbum do cantautor - e Rua da Emenda, lançado em 2014".




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar