Banca & Finanças Isabel dos Santos sai do BPI

Isabel dos Santos sai do BPI

Venda da posição de 18,6% no BPI, no âmbito da OPA lançada pelo CaixaBank, rende à empresária angolana 306,9 milhões de euros. BIC também terá vendido. Só com as compras aos angolanos, catalães asseguraram dois terços do banco.
Isabel dos Santos sai do BPI
Miguel Baltazar

Isabel dos Santos decidiu vender a posição que detinha no BPI, na sequência da oferta pública de aquisição (OPA) lançada pelo CaixaBank, uma operação que lhe permite um encaixe de 306,9 milhões de euros. Face ao valor investido no banco liderado por Fernando Ulrich, a investidora terá realizado um ganho de 53,1 milhões.

A empresária angolana, que até agora possuía 18,6% do capital do banco liderado por Fernando Ulrich, afasta-se assim do BPI onde manteve um longo braço-de-ferro com os catalães do CaixaBank. A forma encontrada para a resolução deste confronto foi a cedência do controlo do Banco de Fomento Angola (BFA) a Isabel dos Santos que, por sua vez, deixa o BPI nas mãos da CaixaBank.

 

A decisão de Isabel dos Santos de vender a sua posição deverá ter sido acompanhada pelo Banco BIC, de que a investidora angolana é o maior accionista. O banco angolano liderado por Fernando Teles, que é o segundo maior accionista da instituição, também terá alienado a sua posição de 2,284%, arrecadando um total de 37,7 milhões de euros.

 

Só com a compra da participação dos dois investidores angolanos, o CaixaBank já assegura o sucesso da OPA sobre o BPI, com margem confortável. Considerando apenas estas participações e os 45,5% do banco que já controla, a oferta terá permitido ao grupo catalão ficar com mais de dois terços do capital do BPI.

CaixaBank em Lisboa

O presidente do CaixaBank, Gonzalo Gortázar, estará esta quarta-feira, 8 de Fevereiro, em Lisboa para assinalar o sucesso da OPA sobre o BPI, sabe o Negócios. O banqueiro espanhol apresentará os resultados da operação numa conferência de imprensa ao lado de Fernando Ulrich, numa conferência de imprensa conjunta dos dois bancos.

A OPA do CaixaBank terminou esta terça-feira, pelas 15:00, hora limite para a transmissão de ordens de venda das acções. Ao que o Negócios apurou, o grupo catalão passou a controlar mais de 50% do banco liderado por Fernando Ulrich, limiar mínimo para assegurar o sucesso da oferta.

 

Os resultados finais da OPA só serão apurados nas próximas horas, sendo apresentados esta quarta-feira na sessão especial de bolsa que tem lugar pelas 16:30 na sede da Euronext Lisboa, na Avenida da Liberdade, em Lisboa.


(Notícia ctualizada às 17:47 com informação sobre a posição do Banco BIC)

A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 07.02.2017

A banca portuguesa ja nao existe. temos agora a espanhola. Que bom para os espanhois. Portugal nacao falida. p.s excepto os banqueiros. Viva la espana.

Ciifrão 07.02.2017

Recebeu muito mas provavelmente é bem menos do que o investido.

jose 07.02.2017

Evidentemente que estes 300 milhões que vêm do BPI, já estão no BCP. Quanto é que a Sonangol teve que meter no aumento de capital?

ZACARIAS 07.02.2017

ENCAIXE DE MAIS DE 50 MILHJÕES, A ISABELINHA NÃO BRINCA, E FICOU COM O BPA QUE DAVA LUCROS AO BPI MAIS DE 50%

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub