Automóvel Jaguar Land Rover vai criar 10.000 postos de trabalho no Reino Unido

Jaguar Land Rover vai criar 10.000 postos de trabalho no Reino Unido

A construtora está a apostar em carros eléctricos na região das Midlands, depois de o governo ter lançado uma estratégia industrial assente no desenvolvimento e produção de baterias para os veículos, avançou o Financial Times desta sexta-feira, 25 de Novembro.
Jaguar Land Rover vai criar 10.000 postos de trabalho no Reino Unido
Bloomberg
Negócios 25 de Novembro de 2016 às 13:05

A Jaguar Land Rover está a planear criar 10.000 postos de trabalho no Reino Unido, tendo em vista a construção de carros eléctricos na região das Midlands, noticia o FT.


A construtora automóvel quer aproveitar as intenções do governo britânico, que assentou toda a sua estratégia industrial no desenvolvimento de baterias e veículos eléctricos.

O presidente da empresa, Ralf Speth, disse que a companhia queria dobrar o tamanho da sua força de trabalho internacional, com o objectivo de aumentar produção de 500 mil carros por ano para um milhão em 2020. "Se dobramos o número de carros também podemos dobrar a força de trabalho", segundo referiu o mesmo responsável numa reunião de líderes políticos e do sector automóvel nas Midlands.


Os planos do grupo vêm juntar-se a outros do mesmo sector na economia do Reino Unido, depois do voto que resultou no Brexit e que levou a receios de que as empresas abandonassem o país. Há um mês, recorda o FT, a Nissan anunciou que iria construir dois novos modelos na sua fábrica de Sunderland.


Esta semana, o executivo britânico revelou que iria investir mais 2,3 mil milhões de euros até 2020, para financiar o desenvolvimento e investigação. Deverão ser investidos mais 94 milhões de euros na rede de abastecimento eléctrico no país.

 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub