Tecnologias Japão e Índia acordam fornecimento de energia nuclear e tecnologia

Japão e Índia acordam fornecimento de energia nuclear e tecnologia

O acordo entre os primeiros-ministros dos dois países foi assinado esta sexta-feira, 11 de Novembro, em Tóquio. O Japão passa agora a fornecer energia nuclear, combustível e tecnologia para a Índia.
Japão e Índia acordam fornecimento de energia nuclear e tecnologia
Reuters
Negócios 11 de Novembro de 2016 às 16:15
O acordo estipula que a energia nuclear e os equipamentos fornecidos por Tóquio sejam apenas utilizados para fins pacíficos. A assinatura inclui uma cláusula que permite que o Japão cesse o pacto caso a Índia conduza testes nucleares. Nova Deli pretende apostar na energia atómica como forma de impulsionar a sua economia em rápido crescimento, refere a Reuters.

"O acordo é um enquadramento jurídico para garantir que a Índia agirá de forma responsável com o uso pacífico da energia nuclear", refere Shinzo Abe, primeiro-ministro japonês (na foto).

"A assinatura de hoje marca um passo histórico no nosso acordo para construir uma parceria de energia limpa", afirma o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi em conferência de imprensa.

Neste sentido, a Índia já se encontra em negociações com a norte-americana Westinghouse Electric, detida pela japonesa Toshiba, para a construção de seis reactores nucleares no sul do país. O objectivo passa pelo crescimento da capacidade nuclear por 10 vezes até 2032.

A Reuters aponta que os fabricantes de unidades nucleares como a Toshiba ou a Mitsubishi Heavy Industries estão ansiosos por expandir os seus negócios após a quebra na procura provocada pelo desastre de Fukushima em 2011.

O contrato entre os dois países prevê ainda a construção de uma ferrovia de alta velocidade para ligar Mumbai a Ahmedabad. O projecto prevê que na linha circulem comboios de alta velocidade ao estilo da rede Shinkansen. Shinzo Abe afirma que a era do alto crescimento económico começou em 1964 com a estra rede ferroviária de alta velocidade. "Acredito que o advento da ferrovia de alta velocidade também traga crescimento económico à Índia," afirmou.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub