Desporto João Mário e Slimani levam Sporting para lucros na época 2016/2017

João Mário e Slimani levam Sporting para lucros na época 2016/2017

Os leões alcançaram um lucro de 30,5 milhões de euros entre Julho de 2016 e Junho de 2017, que compara com os 31,9 milhões de euros de prejuízos alcançado na época anterior. As vendas de jogadores deram a ajuda.
João Mário e Slimani levam Sporting para lucros na época 2016/2017
Miguel Baltazar
Diogo Cavaleiro 07 de setembro de 2017 às 20:45

As vendas de João Mário e Slimani foram as principais responsáveis pelo aumento dos proveitos da Sporting SAD na época passada. O valor compensou o agravamento dos custos, o que permitiu à empresa passar de prejuízos para lucros.

 

O resultado líquido obtido pela SAD verde e branca foi de 30,5 milhões de euros entre Julho de 2016 e Junho de 2017, que compara com os 31,9 milhões de euros de prejuízos alcançado na época anterior, segundo revela o relatório e contas divulgado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

 

O volume de negócios mais do que duplicou na época passada: fixou-se em 173 milhões de euros, face aos 77 milhões no período homólogo. Deste volume, os rendimentos operacionais aumentaram 16% para 80 milhões. Já as transacções com jogadores renderam 10 vezes mais do que no período homólogo: 93 milhões.

 

"A Sporting SAD fechou a época desportiva de 2016/17 com um volume de negócios de 172.998 milhares de euros, o maior de sempre, situação esta suportada por um crescimento sustentado de todas as linhas de receita e com as duas maiores vendas de direitos desportivos de sempre - João Mário por 40 milhões de euros e Slimani por 30 milhões de euros, podendo estes valores subir mediante objectivos e a não menos relevante venda dos direitos desportivos do Jogador Rúben Semedo por 14 milhões de euros, tendo ainda a Sporting SAD uma percentagem de uma futura venda", justifica a empresa à CMVM.

 

No campo dos gastos, houve um agravamento de 78 para 97 milhões de euros, sobretudo devido a efeitos no campo dos custos com salários, mas a sociedade recusa estar a quebrar a perspectiva de contenção de custos que tem vindo a implementar. Vai, sim, "ao encontro da estratégia definida de investimento no plantel".

 

Em relação à situação patrimonial, os capitais próprios do Sporting passaram de 25 milhões negativos para 5,6 milhões positivos, que a SAD dos leões justifica com o resultado alcançado na época desportiva.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub