Media João Paulo Guerra é o novo provedor do ouvinte da RTP

João Paulo Guerra é o novo provedor do ouvinte da RTP

O conselho de administração do canal público, liderado por Gonçalo Reis, anunciou que João Paulo Guerra assume as funções de Provedor do Ouvinte da RTP a partir desta segunda-feira.
João Paulo Guerra é o novo provedor do ouvinte da RTP
Sara Ribeiro 06 de fevereiro de 2017 às 15:29

O conselho de administração da RTP parece ter colocado um ponto final à incerteza em torno da nomeação do novo provedor do Ouvinte da RTP. Em comunicado emitido esta segunda-feira, 6 de Fevereiro, o canal público liderado por Gonçalo Reis anunciou que João Paulo Guerra "entra nesta data em funções".

A decisão acontece depois do Conselho de Opinião ter chumbado o nome do jornalista para o cargo. E em comunicado emitido na passada sexta-feira o Conselho de Opinião ter informado a administração do canal "não ser possível fundamentar a sua deliberação", conforme está estipulado nos Estatutos da Empresa. Logo, "a ausência da fundamentação exigível torna a deliberação nula", sustenta a equipa liderada por Gonçalo Reis.

A administração recorda ainda que a "4 de Janeiro enviou uma carta ao Conselho de Opinião, com a indigitação de João Paulo Guerra para Provedor do Ouvinte, uma personalidade de reconhecido mérito e integridade, pessoal e profissional e com larga experiência no sector dos media, nomeadamente na rádio".

"Tendo decorrido mais de trinta dias desde a indigitação sem que o Conselho de Opinião tenha emitido parecer desfavorável válido, o conselho de administração da RTP decidiu que entra nesta data em funções como Provedor do Ouvinte da RTP o Sr. João Paulo Guerra", lê-se no mesmo comunicado.

A incerteza em torno das funções de provedor do Ouvinte arrasta-se desde final de Novembro de 2016, quando o Conselho de Opinião, presidido por Manuel Coelho da Silva pelo quinto mandato consecutivo, chumbou o nome de Joaquim Vieira para o cargo. De seguida, e tal como as regras prevêem, a administração da RTP nomeou outro nome. João Paulo Guerra foi o escolhido. Mas também foi vetado pela maioria dos 32 membros do Conselho de Opinião.

Esta deliberação gerou, contudo, alguma controvérsia, incluindo dentro do Conselho de Opinião, dada a experiência profissional do jornalista de 74 anos que é colaborador da Antena 1 e que conta com décadas de experiência na rádio.

 

A nomeação de Jorge Wemans para provedor do telespectador foi aprovada pelo Conselho de Opinião no mesmo dia em que chumbou o nome de Joaquim Vieira. O ex-director da RTP2 foi nomeado para o cargo que ficou vago após a morte de Jaime Fernandes, em Outubro.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 06.02.2017

O governo deve dar ás televisões privadas as mesmas condições que dá á RTP. Deve dar mais canais em sinal aberto como acontece em Espanha.

pub