Banca & Finanças José Galamba de Oliveira: Há compradores à procura de oportunidades nos seguros

José Galamba de Oliveira: Há compradores à procura de oportunidades nos seguros

O presidente da APS acredita que, daqui a cinco anos, vamos assistir a profundas "rupturas" no sector financeiro, que se vai transformar "numa coisa totalmente diferente".
José Galamba de Oliveira: Há compradores à procura de oportunidades nos seguros
Miguel Baltazar
Rita Faria 23 de Novembro de 2016 às 15:15

José Galamba de Oliveira defendeu esta quarta-feira que, para os seguros do ramo não vida, "o negócio está a correr bem", mesmo num ambiente de taxas de juro baixas.

"Os resultados têm vindo a ter uma evolução favorável", afirmou o presidente da Associação Portuguesa de Seguradores (APS) na Grande Conferência Anual do Jornal de Negócios. "Existe alguma tranquilidade de que estão no caminho certo".

Quanto ao ramo vida, José Galamba de Oliveira sustenta que "tem sofrido um impacto muito grande", decorrente do ambiente de juros baixos, não conseguindo oferecer "produtos que sejam atractivos". O presidente da APS acrescenta que, por isso, "há seguradoras que estão já desfocadas desse mercado".

No entanto, para o sector dos seguros, "há compradores", segundo José Galamba de Oliveira.  

É público que há players "à procura de novas oportunidades". "O negócio é muito interessante. Não sabemos qual será a evolução dos juros, com a eleição de Trump pode haver uma aceleração, e isso dá uma ajuda ao negócio das seguradoras", defendeu.

O presidente da APS prevê ainda que "daqui a cinco anos vamos ter rupturas muito grandes no sistema financeiro" que se vai transformar "numa coisa totalmente diferente". "O sector financeiro está numa profunda disrupção", concluiu. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub