Telecomunicações José Mauro da Cunha sai da administração da Pharol

José Mauro da Cunha sai da administração da Pharol

O presidente do conselho de administração da Oi renunciou ao cargo de administrador não executivo na Pharol.
José Mauro da Cunha sai da administração da Pharol
Bloomberg
Sara Ribeiro 29 de dezembro de 2017 às 09:26

José Mauro da Cunha, actual presidente do conselho de administração da Oi, renunciou ao cargo de administrador não executivo que ocupava na Pharol. A informação foi divulgada pela antiga PT SGPS em comunicado enviado à CMVM.

A Pharol não detalha os motivos da renúncia, que ocorreu a 28 de Dezembro. Mas o anúncio da saída de José Mauro da Cunha da administração da Pharol, que ainda detém 27% da Oi, surge depois de no passado dia 19 de Dezembro ter sido aprovado o plano de recuperação judicial da operadora.

O actual plano, aprovado pelos credores, prevê a conversão da dívida até 75% do capital da Oi. Quer isto dizer que, no final do processo, os credores vão ficar a controlar a maioria do capital da empresa, com os actuais accionistas a sofrerem uma forte diluição das suas participações, incluindo a Pharol que actualmente é maioritária com 27,18%. A empresa liderada por Palha da Silva já revelou que é contra o plano.

Além disso, o plano prevê um aumento de capital de 4 mil milhões de reais (cerca de mil milhões de euros) pelos accionistas. A Pharol ainda não anunciou se vai acompanhar o aumento de capital. Mas como Luís Palha da Silva já tinha adiantado ao Negócios, a Pharol já está em contactos "com algum nível de aprofundamento para tentar verificar que quantidade e em que modalidades poderia obter alguns recursos financeiros para ir a aumentos de capital".

No âmbito do plano, a Oi também vai reorganizar o "board" da operadora, que irá ficar sem suplentes e reduzir o actual número de administradores. Do lado da Pharol, ficarão apenas dois membros: Luís Palha da Silva, presidente da Pharol, e Pedro Morais Leitão, administrador da Pharol. Vicente Ribeiro, João Pisco de Castro, e André Menezes Navarro vão, desta, maneira, abandonar o conselho da Oi No conselho.




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas

Ainda bem que sua. Menos um bandido brasileiro. Este vem do BNDES. Usou o dinheiro da venda da PT Portugal para pagar o BNDES em vez dos obrigacionistas da PT e o Palha da Silva andou a ver barcos a passar. Esta gente já não esconde, vai mesmo violentar a Pharol. Burros!

joaoferreira1 Há 2 semanas

Parolito...pró ano pharolim nos 0, bués . Deixa de gozar com a desgraça dos outros para não te fazerem o mesmo. 1 bom ano.

rosa Há 2 semanas

Vocês bem gostavam que a pharol deixasse de existir mas... temos pena de vocês seus fdp! Shortou vai ter que comprar!

Ainda existe a Pharol? Há 2 semanas

Parece que sim. Ninguem sabe o que faz ou percebe para que serve. Aparentemente nem este brasileiro sabia...
Enfim. Fechem lá com isso para que mais ninguem seja enganado.

A Pharol acabou.

ver mais comentários
pub