Transportes José Mendes: “Nunca sugeri perdão de multas a multinacionais” como a Uber

José Mendes: “Nunca sugeri perdão de multas a multinacionais” como a Uber

O secretário de Estado Adjunto e do Ambiente salientou no Parlamento que as multas que estão a ser aplicadas a veículos da Uber e Cabify são aos motoristas e não às multinacionais e voltou a sugerir a um momento zero com a aprovação de regulamentação desta actividade.
José Mendes: “Nunca sugeri perdão de multas a multinacionais” como a Uber
Miguel Baltazar
Maria João Babo 10 de janeiro de 2018 às 11:15

O secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, José Mendes, sublinhou esta quarta-feira, 10 de Janeiro, no Parlamento que as declarações sobre a criação de um mecanismo de limpeza de contratações para a Uber e Cabify foram apenas "uma sugestão" e que  "tem um racional".

 

Na audição na Comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas, a requerimento do PCP, o responsável explicou que estando no Parlamento em debate propostas de regulamentação para a actividade de transporte em veículos descaracterizados sugeriu que a Assembleia da República "pudesse definir um momento zero e limpar o que está a acontecer".

 

"Nunca sugeri perdão de multas a multinacionais", afirmou José Mendes, acrescentando que as multas estão a ser passadas a motoristas e não às multinacionais.

 

"Pelo menos estamos a proteger esses motoristas que são micro ou pequenas empresas", considerou o secretário de Estado, reforçando que apenas fez uma sugestão e que é ao Parlamento que cabe a decisão. Lembrou ainda as decisões contraditórias que tem havido por parte dos tribunais.

 

José Mendes garantiu ainda aos deputados que "em momento algum" fez "juízo de valor sobre o agendamento de prioridades no Parlamento", onde as propostas de regulamentação da actividade da Uber e Cabify estão desde Março do ano passado para discussão na especialidade.




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anita Silva Há 1 semana

Uma sugestão um pouco estranha de se fazer, não? Perdoar multas à Uber... enquanto os restantes contribuintes e infratores são obrigados a pagar.

Anónimo Há 1 semana

Ser contra a uber , e` apoiar ladroes; < queixoso que ja` foi roubado varias vezes>.

Camponio da beira Há 1 semana

Os miudos do jardim de infancia acreditaram.

Anónimo Há 1 semana

Outra vez? Não cumpriu com a lei paga a multa. Não há nada a saber nem discutir. Não há regulamentação estão ilegais, e andaram estes senhores a estudar para quê?

ver mais comentários
pub