Tecnologias Jovem que não sabe programar cria jogo do momento na Ásia

Jovem que não sabe programar cria jogo do momento na Ásia

Os sapos japoneses estão a espalhar-se pela Ásia. A boa notícia é que não são uma espécie invasiva, nem real.
Jovem que não sabe programar cria jogo do momento na Ásia
Bloomberg
Bloomberg 10 de fevereiro de 2018 às 19:19

O Tabi Kaeru, ou Travel Frog, ficou em primeiro lugar entre as aplicações de smartphone mais descarregadas da China durante quase duas semanas após o lançamento e ainda está no topo do ranking na China, em Hong Kong, em Taiwan, em Singapura, na Malásia e no Japão. A ideia do jogo partiu de Mayuko Uemura, uma funcionária de 26 anos da produtora Hit-Point, que nunca escreveu uma linha de código de computador.

O objectivo do jogo é simples: prepare uma comidinha, uma barraca e mais algumas coisinhas para a viagem do seu anfíbio virtual e espere que ele volte dos passeios com fotos e presentes. Se a ideia de acumular comida e bugigangas enquanto espera os animais parece familiar é porque a Hit-Point, com sede em Nagoia, está por trás do jogo de coleccionar gatos Neko Atsume e produziu também este último sucesso. Ambos os títulos têm o mesmo DNA do Tamagotchi, o bichinho virtual da Bandai Namco que se tornou uma sensação em todo o mundo nos anos 1990 e no início dos anos 2000.

Uemura disse que se inspirou na sua paixão por viagens e na sensação de esperar a volta de um ente querido de viagem.


"Definitivamente estamos a fazer as pessoas esperarem e às vezes preocupo-me porque penso: não estamos a fazer as pessoas esperarem demais?", afirmou numa entrevista. "Quero criar jogos que os jogadores adorem. Não quero criar jogos que exijam muita concentração."

Na verdade, o título não é nada acelerado. Quando está em sua casa, que parece uma caverna, o sapo desenha ou lê um livro. O jogo é estranhamente tranquilizador. É possível colher trevos no quintal da frente e usá-los para comprar comida, lanternas e qualquer outra coisa que possa ajudar numa longa caminhada. Depois de andar durante horas ou até mesmo dias, o sapo volta com lembranças e fotos das suas viagens. E é só isso. O objectivo é coleccionar mais itens, tanto os que o sapo leva nas viagens quanto os que ele traz de volta.

Apesar de ser disponibilizado apenas em japonês, o jogo foi descarregado mais de 30 milhões de vezes desde a estreia, em Novembro (a China representa 95% do total), superando até o sucesso "Animal Crossing", da Nintendo, lançado mais ou menos na mesma altura, segundo a empresa de dados Sensor Tower. Para efeito de comparação, o Neko Atsume foi descarregado 22 milhões de vezes.

O título é especialmente popular entre as mulheres, segundo Daniel Ahmad, analista da Niko Partners. As mulheres representam quase a metade dos jogadores do sucesso Honor of Kings, da Tencent, de três mil milhões de dólares. "Isto mostra que existe uma enorme oportunidade de atingir as jogadoras da China", disse.

Os sapos são considerados um símbolo de sorte e prosperidade na China e em alguns lugares da Ásia, mas a Hit-Point não informa quanto ganhou com o Tabi Kaeru. Além de anúncios que geram receitas, os utilizadores também podem comprar trevos adicionais como moeda. Há muito potencial; os populares personagens felinos do Neko Atsume actualmente aparecem em brinquedos, livros e até num filme.