Transportes Júri aceita seis concorrentes aos projectos do metro do Porto

Júri aceita seis concorrentes aos projectos do metro do Porto

O júri do concurso validou apenas seis dos 12 candidatos à elaboração dos projectos das novas linhas do metro do Porto, que têm agora de entregar propostas até ao final deste mês.
Júri aceita seis concorrentes aos projectos do metro do Porto
Paulo Duarte/Negócios
Maria João Babo 13 de novembro de 2017 às 12:36

Dos 12 concorrentes iniciais que se apresentaram ao concurso para projectar as duas novas linhas da rede do metro do Porto, o júri validou a admissão de seis, que deverão agora apresentar as suas propostas até 30 de Novembro.

Em comunicado, a Metro do Porto informa que o conselho de administração recebeu no final da semana passada o relatório final do júri do concurso público internacional para a elaboração dos projectos das duas novas linhas da rede do Metro, a construir entre 2019 e 2022, que tinha sido lançado a 6 de Setembro.

Dos doze concorrentes à pré-qualificação, o júri validou a admissão de seis agrupamentos: Fase /Ayesa Ingenieria; Tecnofisil/Técnica y Proyetos/Jmenglob/Pais Mamede & Malato/Adão da Fonseca; IDOM Engenharia; LCW Consult/Amberg Engineering/Grid; Coba /Viaponte /GIBB Portugal; SENER /CJC/NSE.

"Concluída que está a fase de pré-qualificação, os concorrentes deverão apresentar as suas propostas até ao dia 30 de Novembro.

Até ao final do ano, deverá saber-se quem vai projectar a nova Linha Rosa (G) e o prolongamento da Linha Amarela (D)", diz a empresa de transporte público do Porto, que espera proceder à adjudicação dos projectos até ao fim de Dezembro.

As propostas serão avaliadas de acordo com dois critérios: o preço (que tem um peso de 70%), e a valia técnica da proposta (critério que vale 30%). O valor de referência deste concurso é de 4,7 milhões de euros, divididos pelos dois lotes.

"Com o desenvolvimento dos projectos e dos procedimentos de avaliação ambiental a decorrerem ao longo de 2018, o lançamento dos concursos para as empreitadas de construção da Linha Rosa e da extensão da Linha Amarela sucederá no final desse mesmo ano, de modo a que as obras arranquem, no Porto e em Vila Nova de Gaia, nos primeiros meses de 2019 e venham a ficar concluídas em 2022", salienta ainda a Metro do Porto.

Para a expansão da rede, incluindo os projectos, está previsto um investimento de 290 milhões de euros.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub