Energia Lava-Jato recupera mais de 50 milhões para a Petrobras

Lava-Jato recupera mais de 50 milhões para a Petrobras

Segundo o procurador Deltan Dallagnol, este é o maior valor já devolvido na história a uma vítima pela justiça criminal.
Lava-Jato recupera mais de 50 milhões para a Petrobras
Bloomberg
Lusa 18 de Novembro de 2016 às 18:52
O Ministério Público Federal (MPF) do Paraná do Brasil, devolveu hoje, numa cerimónia em Curitiba, no estado do Paraná, à petrolífera Petrobras 204,2 milhões de reais (56,9 milhões de euros) recuperados pela Operação Lava Jato.

A operação investiga o maior esquema de corrupção da história brasileira e envolve várias empresas, em especial a Petrobras, para além de dezenas de políticos.

"No Brasil, é uma façanha, uma proeza conseguir efectivamente recuperar algum dinheiro desviado dos cofres públicos. Isto faz-nos celebrar hoje a entrega de mais de 200 milhões de reais para a Petrobras, o maior valor já devolvido na história pela justiça criminal para uma vitima", afirmou o procurador Deltan Dallagnol, citado pela imprensa local.

Esse dinheiro só foi recuperado devido à colaboração entre diversos órgãos públicos, como o MPF, a Polícia Federal e a Receita (Finanças), acrescentou o também coordenador da equipa que trata da Lava Jato em Curitiba.

O dinheiro resultou de 18 acordos de delação premiada (prestação de informações por pessoas físicas em troca de eventual redução de pena) e três de leniência (equivalentes às delações premiadas, mas para pessoas jurídicas).

Segundo o MPF, trata-se da terceira e maior devolução de recursos no âmbito da Lava Jato para a petrolífera estatal, que, no total, já recebeu cerca de 500 milhões de reais (139,5 milhões de euros).



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub