Turismo & Lazer Lego troca CEO por um mais novo

Lego troca CEO por um mais novo

Bali Padda começou em Janeiro e sai em Outubro. Para o seu lugar vem Niels Christiansen, dez anos mais novo. A nomeação sempre teve esse carácter temporário, lembra a empresa perante os 61 anos do actual líder.
Lego troca CEO por um mais novo
Bruno Simão
Wilson Ledo 10 de agosto de 2017 às 09:26

A Lego voltou a mexer na construção da sua empresa. Não foi preciso muito tempo, oito meses para ser exacto, para substituir o actual CEO por um mais novo.

Bali Padda, com 61 anos e o mérito de ter sido o primeiro não-dinamarquês à frente a Lego, deixa a liderança do grupo em Outubro. A mesma que tinha assegurado em Janeiro deste ano.


Para o seu lugar vem Niels Christiansen, dez anos mais novo e nascido na Dinamarca. Em Março tinha abandonado os rumos da Danfoss, especialista em ar condicionado, à procura de um novo desafio, depois de lhe ter dado a volta aos resultados.


A substituição sempre esteve em cima da mesa, assegura o presidente Jorgen Vig Knudstorp, que ocupava esse mesmo cargo de CEO até Dezembro de 2016. Padda estava consciente de que, devido à idade, não permaneceria muito tempo no cargo. Foram só oito meses porque apareceu então o candidato perfeito e as peças se juntaram.


"Isto não é uma humilhação. Definitivamente, não nos desapontou. Bali sabia que eu ia começar imediatamente a procurar um sucesso", garantiu Knudstorp ao Financial Times. Ainda sob a liderança de Padda vão ser lançados o novo filme "Lego Ninjago" e a LegoHouse, uma mistura entre museu e parque de diversões.


Agora a brincadeira é outra para o novo CEO, que tem de lidar com uma desaceleração no crescimento das vendas, que tinham sido a dois dígitos na última década, quando se ultrapassou a Mattel, criadora da Barbie e dos Hot Wheels. No ano passado, o indicador aumentou 6% para os 37,9 mil milhões de coroas suecas, qualquer coisa como cinco mil milhões de euros.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub