Empresas Leixões com mais 60% de cruzeiros

Leixões com mais 60% de cruzeiros

O porto de Leixões continua a bater recordes na actividade de cruzeiros, tendo recebido 29 mil passageiros em 31 escalas nos primeiros cinco meses deste ano, mais cerca de 60% do que em igual período do ano passado.
Leixões com mais 60% de cruzeiros
Leixões recebeu 29 mil passageiros em 31 escalas de navios nos primeiros cinco meses deste ano.
Rui Neves 28 de junho de 2017 às 11:15

Maio foi o melhor mês de sempre do terminal de cruzeiros de Leixões, ao ter registado 22 escalas de navios e 19.481 passageiros, ultrapassando os 29 mil nos primeiros cinco meses deste ano, num total de 31 escalas, o que representa um crescimento de cerca de 60% face a igual período do ano passado, anunciou Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL).

 

"O porto de Leixões continua a merecer a confiança das principais companhias a operar neste sector como comprovam os quatro navios em escala inaugural desde Janeiro", enfatizou a autoridade portuária, em comunicado.

 

APDL destaca que tem confirmadas 103 escalas de navios para este ano, devendo "registar um total de 100 mil passageiros", o fará de 2017 "o melhor ano de sempre para este porto".

 

De recordar ainda que, pela primeira vez na história do porto de Leixões, o seu terminal de cruzeiros foi escolhido por um operador para encerrar e arrancar uma viagem.

 

O primeiro cruzeiro da MSC com saída do novo e premiado Terminal de Cruzeiros de Leixões tem inauguração marcada para a Páscoa de 2018.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub