Empresas Leixões (des)carrega mais 9% de mercadorias no primeiro semestre

Leixões (des)carrega mais 9% de mercadorias no primeiro semestre

O porto de Leixões movimentou cerca de 9,7 milhões de toneladas de mercadorias nos primeiros seis meses deste ano, o que representa um crescimento de 9% em relação ao mesmo período do ano passado.
Leixões (des)carrega mais 9% de mercadorias no primeiro semestre
O forte crescimento do movimento de mercadorias no porto de Leixões deve-se sobretudo aos resultados expressivos registados nos segmentos de granéis líquidos e cargas "ro-ro".
Rui Neves 19 de julho de 2017 às 11:07

Apesar de uma ligeira quebra na carga contentorizada e na carga geral fraccionada, os resultados expressivos registados nos segmentos de granéis líquidos e cargas "ro-ro" guindaram um crescimento de 9% no movimento de mercadorias no porto de Leixões, para 9,7 milhões de toneladas, no primeiro semestre deste ano.

 

Entre Janeiro e Junho deste ano, as cargas "ro-ro", com um aumento de 12%, "deram um contributo significativo para reforçar a liderança de Leixões neste segmento", destaca a Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL), em comunicado.

 

Já os granéis líquidos registaram um aumento de mais de um milhão de toneladas, totalizando 4,3 milhões de toneladas, o que se traduziu num crescimento homólogo de 34%.

 

A APDL sublinha ainda os números das exportações de mercadorias, que alcançaram os 2,6 milhões de toneladas, mais 3,4% do que no primeiro semestre do ano passado.

 

Já em relação à actividade de cruzeiros, nos primeiros seis meses deste ano passaram pelo terminal de Leixões 45 navios e 40.917 passageiros, o que representou um crescimento homólogo de 29% e 64%, respectivamente. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub