Tecnologias Lenovo volta aos lucros e supera estimativas de analistas

Lenovo volta aos lucros e supera estimativas de analistas

A maior fabricante de computadores fechou o seu segundo trimestre fiscal com lucros de 157 milhões de dólares devido à alienação de activos.
Lenovo volta aos lucros e supera estimativas de analistas
Bloomberg
Negócios 03 de Novembro de 2016 às 10:13
O grupo chinês Lenovo terminou o segundo trimestre fiscal (de Julho a Setembro) com um resultado líquido de 157 milhões de dólares (141,6 milhões de euros), um valor que compara com os prejuízos de 174 milhões de dólares (157 milhões de euros) registados no mesmo período do ano passado. Os prejuízos registados no ano passado resultaram do aumento de custos da empresa no seguimento da reestruturação e integração da unidade móvel da Motorola.

O resultado alcançando foi impulsionado pela alienação de activos e superou as estimativas dos analistas consultados pela Reuters que previam que a maior fabricante de computadores alcançasse lucros de 131 milhões de dólares (cerca de 118 milhões de euros).

A quebra das receitas em 8% para 11,2 mil milhões de dólares (perto de 10,1 mil milhões de euros) também foi compensada pela venda de departamentos não estratégicos que o grupo tem em curso.

Tendo em conta a análise ao primeiro semestre fiscal daLenovo, a fabricante registou lucros de 330 milhões dólares (297 milhões de euros), um valor que mais uma vez compra com os prejuízos de 609 milhões de dólares (549,5 milhões de euros) no mesmo período de 2015.

 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub