Start-ups Leonardo Mathias: Web Summit em Lisboa é mais institucional

Leonardo Mathias: Web Summit em Lisboa é mais institucional

O antigo secretário de Estado Leonardo Mathias, que liderou a candidatura de Lisboa à Web Summit, disse à Lusa que o evento deste ano traz algumas mudanças, entre elas uma presença "mais institucional".
Leonardo Mathias: Web Summit em Lisboa é mais institucional
Bruno Simões
Lusa 07 de Outubro de 2016 às 07:54
Paddy Cosgrave, pelo presidente e fundador do Web Summit, "deu um passo que ele não estava à espera dar, tornou o Web Summit muito mais institucional, é a grande novidade de Lisboa", afirmou Leonardo Mathias, antigo secretário de Estado.

"A grande diferença, e esta é a expressão que ele mais gosta sobre o Web Summit, é que enquanto a reunião de Davos é para a Marinha, o Web Summit é para os piratas", acrescentou Leonardo Mathias, que mantém uma relação próxima com Paddy Cosgrave, com quem costuma almoçar ou jantar quando este vem à capital portuguesa.

Ou seja, pela primeira vez vão estar presentes comissários europeus, além de membros de governos, num evento que conta com as presenças da Google e da Apple, numa altura em que se debate questões de concorrência.

"A segunda mudança muito interessante também do Paddy, e aí bem, não sei até que ponto é que Fernando Medina [presidente da câmara de Lisboa] teve impacto ou não, na altura já tínhamos pensado nisso (...), foi a de como é que se gere uma cidade 'conect' [ligada]", revelou.

"Se não me engano já foram convidados e já disseram que sim quase 100 presidentes de câmara, mas não estamos só a falar de Freixo de Espada a Cinta. Estou a falar de Tóquio, Paris, de Nova Iorque", entre outros.

Questionado se foi contactado ou convidado para o evento pelo Governo português, Leonardo Mathias disse que não.

"Nunca mais falei com ninguém que esteja envolvido no processo, ninguém do actual Governo, ninguém do ministério da Economia, nem de outro ministério", disse.

Leonardo Mathias adiantou que costuma encontrar-se com Paddy Cosgrave e com o David Kelly (co-fundador do Web Summit) e confidenciou que na véspera de conhecerem o ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, e o primeiro-ministro, António Costa, os responsáveis jantaram com o ex-governante, onde trocaram ideias.

"Não recebi convite para nenhum [evento], sei que vai haver eventos, ou pelo menos é o que eu sei pela imprensa, sei que o senhor Presidente [da República] vai fazer um evento na Ajuda, sei que tem havido eventos. Nunca fui contactado para nada", salientou.

No entanto, "simpaticamente, o Paddy deu-me um bilhete de platina e, portanto, vou estar como cidadão a assistir e estou agora a fazer as minhas reservas às áreas que acho mais interessantes", acrescentou.

A Web Summit realiza-se entre 07 e 10 de Novembro.



A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
pertinaz Há 3 semanas

RESUMINDO

É UM DESGOVERNO DE ORDINÁRIOS MAL AGRADECIDOS

VAMOS A CAMINHO DO ABISMO

alberto.sousa.18007218 Há 4 semanas

É fartar vilanagem. É roubar á descarada. Depois querem turismo? Ide fazer turismo para o raio que vos parta, a todos. Se fosse turista, nunca poria os pés neste pais. A ganancia impera nesta terra abençoada, que poderia, pelo facto de ser calma, de povo acolhedor e clima ameno, sem problemas de terrorismo, ser visitada, por milhões, de turistas, que agora irão pensar, várias vezes, deslocarem-se a esta terra de ladrões. Eu pensaria sériamente, se prefiro ser roubado.!
NOVA ORDEM MUNDIAL, É PRECISA URGENTE

pub
pub
pub
pub