Banca & Finanças Lesados do BES em filas para aceitar proposta de recuperação

Lesados do BES em filas para aceitar proposta de recuperação

A vice-presidente da associação dos lesados do papel comercial, que também aceitou a solução, diz à TSF que os protestos vão continuar para os 1.400 antigos clientes a quem esta proposta não se aplica.
Lesados do BES em filas para aceitar proposta de recuperação
Miguel Baltazar
Negócios 28 de agosto de 2017 às 07:56
A vice-presidente da Associação Movimento Emigrantes Lesados Portugueses (AMELP) garante que a grande maioria dos emigrantes lesados do BES com a compra de papel comercial aos balcões do banco tem estado a aceitar a proposta aprovada no Parlamento para recuperar 75% das perdas.

No dia em que termina o prazo para aceitação da proposta - esta segunda-feira, 28 de Agosto, a TSF avança, citando a vice-presidente da AMELP, que na semana passada havia filas de clientes para apresentar a documentação com o objectivo de fechar o processo.

A 8 de Agosto, a associação deu conta de um entendimento com o Novo Banco e o Governo do PS, que passa pela recuperação de 75% do dinheiro que investiram em produtos Euro Aforro 8, Poupança Plus 1, Poupança Plus 5, Poupança Plus 6, Top Renda 4, Top Renda 5, Top Renda 6 e Top Renda 7, noticiou na altura a Lusa.

Os primeiros depósitos serão constituídos com o valor que a instituição vai pagar pelas obrigações do Novo Banco em que os veículos têm as poupanças dos clientes aplicadas. Em causa estará um montante equivalente a 60% do montante investido.

 

Um dos depósitos terá o prazo de cinco anos, sendo remunerado com uma taxa de juro de 1% ao ano. Já o segundo terá um prazo de dois anos e paga uma taxa de 0,5%.

 

Além disso, o Novo Banco compromete-se a fazer, durante três anos, entregas anuais nestes depósitos de valores equivalentes a 5% do capital investido, perfazendo um total de 75%.


A responsável da associação, Helena Batista, afirma que também ela já aceitou a solução, entre os 1.440 lesados a que esta proposta se aplica. Mas apesar deste capítulo estar prestes a fechar-se, a vice-presidente afirma que há duas mil contas relacionadas com outros produtos financeiros não abrangidos e que os protestos destes clientes emigrantes continuarão.

Trata-se dos produtos Euro Aforro 10 e EG Premium, à espera de uma solução que estará ainda a ser trabalhada. Quem aceitar estas propostas tem de desistir das acções judiciais contra o Novo Banco e seus trabalhadores, referia a Lusa.

Os antigos clientes do BES insistem que foram levados a assinar o investimento em obrigações e acções preferenciais, quando julgavam estar a subscrever contratos para depósitos a prazo.



A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 28.08.2017

Abre olhos Há 1 hora, não é Devião é Deviam.

comentários mais recentes
joao crizal 28.08.2017

o Salgado é um santo as pessoas é que queriam rouba-lo!! será ? :)

Stefano 28.08.2017

New bank repays these securities at 75%.
And to me, that I have a senior bond, proposes a cut that from 10 to 90%...
Total madness.

General Ciresp 28.08.2017

portugal tornou-se num pais q paga quem originou o roubo e nao quem rouba,ou seja a culpa nao e neste caso do salgado capela q esfolou mas do EMIGRANTE q meteu la o dinheiro,estou nessa situacao e vejo assim:tudo isto por forca maior vai ter de inverter e quanto mais demorar mais os bancos vao penar

Anónimo 28.08.2017

Abre olhos Há 1 hora, não é Devião é Deviam.

ver mais comentários
Saber mais e Alertas
pub