Indústria Libra tirou 10% ao Toblerone. E a reacção dos clientes não foi doce

Libra tirou 10% ao Toblerone. E a reacção dos clientes não foi doce

A barra de chocolate conhecida pelos triângulos tem um formato ligeiramente diferente e pesa menos. A dona da marca diz que foi a forma encontrada de manter o produto nas prateleiras ao mesmo preço. Mas os consumidores não gostaram da mudança.
Libra tirou 10% ao Toblerone. E a reacção dos clientes não foi doce
DR
Negócios 09 de novembro de 2016 às 15:48
As mudanças no formato e na dimensão da icónica tablete de chocolate Toblerone, trazidas pelo aumento dos preços das matérias-primas, estão a levar a críticas dos consumidores.

Dois modelos da barra apresentam agora um maior espaçamento entre os triângulos. E o peso foi também reduzido, com as barras de 400 e 170 gramas a serem agora vendidas com 360 e 150 gramas de peso, respectivamente.

Apesar de a alteração ter sido conhecida há um mês, só agora, que a nova forma do produto chegou às prateleiras, é que as redes sociais reagiram. E a reacção foi tudo menos doce, com os consumidores a dizerem-se traídos pela marca. Como represália, há quem afirme que vai começar a comprar versões em marca branca do chocolate.

Ainda esta quarta-feira, depois da vitória surpresa de Donald Trump nas eleições norte-americanas, o comediante britânico Ricky Gervais brincava com o assunto, dizendo que a eleição do republicano apenas queria afastar as atenções do "tobleronegate":

 Don't befooledpeople.
Na sua página de Facebook, o fabricante suíço justificou no mês passado a medida com o aumento dos preços dos fornecedores. As mudanças no formato do chocolate Toblerone vieram para garantir o produto nas prateleiras a um preço justificável e para manter o formato triangular e toda a gama da marca à venda no país.

Apesar de não estabelecer nenhuma relação causal com o Brexit, a mesma publicação do Facebook explica que as alterações surgem num contexto em que outras empresas têm vindo a fazer alterações no país. Contudo, a queda da libra que sucedeu à decisão de saída do Reino Unido da União Europeia, encareceu a compra de produtos fora do país.

A Walkers e a Birds Eye, recorda o Financial Times, são dois exemplos de empresas que aumentaram recentemente os preços dos seus produtos para fazer face à desvalorização da libra após a votação do Brexit.



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Cândida Palma Há 1 semana

Forretas!!