Desporto Liga espanhola recusa depósito de 222 milhões de euros por Neymar

Liga espanhola recusa depósito de 222 milhões de euros por Neymar

A liga espanhola de futebol recusou hoje o depósito de 222 milhões de euros referente à transferência do brasileiro Neymar do FC Barcelona para o Paris Saint-Germain.
Liga espanhola recusa depósito de 222 milhões de euros por Neymar
REUTERS
Lusa 03 de agosto de 2017 às 11:44

Quatro representantes de Neymar, entre eles um advogado especialista em direito desportivo, estiveram na sede do organismo, em Madrid, para depositar o valor da cláusula de rescisão de contrato de Neymar com o 'Barça', mas esbarraram na 'nega' dos responsáveis do organismo.

 

No último domingo, o presidente da liga espanhola de futebol, Javier Tebas, disse que apresentaria queixa à UEFA se o Paris Saint-Germain avançasse para a contratação de Neymar, por desrespeitar as regras do 'fair play' financeiro.

 

Na quarta-feira, o empresário do futebolista brasileiro Neymar Wagner Ribeiro confirmou que o Paris Saint-Germain pagaria os 222 milhões de euros da cláusula de rescisão.

 




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 03.08.2017

Portugal é um doente crónico em estado terminal de uma doença chamada excedentário fanático pelo espectáculo do futebol. O Reino Unido também tem os seus agentes patogénicos da mesma estirpe, o hooligan não raras vezes embriagado, e a Itália os dela, o tifosi não raras vezes mafioso. O que se passa é que tendo gente séria e com visão a criar valor ao fomentar através do talento e do investimento a produção e desenvolvimento de motores Rolls Royce e Ferrari, a situação foi e continua a ir sendo compensada, não descamba para o descalabro e o nível vai-se conseguindo manter e por vezes elevar com o decorrer do tempo. O Jornal de Negócios deve ajudar a elevar o nível em vez de o fazer descer. Please.

eas 03.08.2017

E...? E quando a Espanha compra "todos" os bancos em Portugal com o beneplácito do BCE não há "Fair-Play Financeiro"?! Para estes espanhois não existe limites para defenderem a sua economia, vão contra tudo e contra todos. Mas admiro-os por isso, quem me dera que Portugal fosse assim! Cá é cada um por si e ... todos os vizinhos são estrangeiros!

pub
pub
pub
pub