Media Lisboa espera encaixar 25 milhões com a Eurovisão

Lisboa espera encaixar 25 milhões com a Eurovisão

A cidade de Lisboa foi a escolhida para acolher a Eurovisão em Maio de 2018. Esperam-se 27 mil turistas durante o evento. A taxa turística vai financiar até cinco milhões de euros, incluindo o aluguer do Meo Arena.
A carregar o vídeo ...
Wilson Ledo 25 de julho de 2017 às 19:02

Lisboa deverá encaixar 25 milhões de receitas turísticas com a organização do festival Eurovisão da Canção em Maio de 2018.

A perspectiva foi traçada esta terça-feira, 25 de Julho, por Fernando Medina, presidente da Câmara Municipal de Lisboa - que financiará o evento juntamente com o Turismo de Lisboa e o Turismo de Portugal.


O investimento será feito através de verbas do Fundo de Desenvolvimento Turístico, com a taxa sobre as dormidas aplicadas na cidade, até cinco milhões de euros. A verba integra o aluguer do Meo Areno bem como o sistema de transportes ou a adaptação do Terreiro do Paço para ser a "vila" da Eurovisão.


O autarca referiu ainda que são esperados 27 mil turistas durante a realização do evento, que se estende por duas semanas. As semi-finais têm lugar a 8 e 10 de Maio no Meo Arena. A final decorre na noite do dia 12.


Para Fernando Medina, a organização do festival da Eurovisão é "uma oportunidade que não podemos desperdiçar" rumo à "afirmação" do destino Lisboa, tendo em conta uma audiência prevista de 200 milhões de pessoas.


A RTP escolheu Lisboa e a sala de espectáculos Meo Arena para realizar o festival Eurovisão da Canção em 2018, depois de analisadas cinco cidades: Braga, Gondomar, Guimarães, Lisboa e Santa Maria da Feira.


O presidente da RTP, Gonçalo Reis, defendeu que o Meo Arena "é uma escolha empresarial da RTP, validada pela European Broadcasting Union (EBU)", a união de canais públicos europeus responsável pela Eurovisão. O antigo Pavilhão Atlântico tem capacidade para cerca de 20 mil pessoas. A capacidade hoteleira e a proximidade foram outros motivos a justificar a decisão.


Portugal assegurou a realização do festival da Eurovisão em 2018 depois de Salvador Sobral ter conquistado, pela primeira vez, em Maio passado em Kiev, a vitória desta competição musical com o tema "Amar pelos Dois".

(Notícia actualizada às 20:18 com mais informação)




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
José 26.07.2017

O regresso do despesismo publico inútil e acessório realizado por gente irresponsável. Este pais não remédio.

Mr.Tuga 26.07.2017

Os da foto 2 PORCO*S ANEDOTICOS E DESPESISTAS!!!!!

IMBECIS!!!
O Eurinho 2004 e os estádios topo de gama-NOS de chutadores de boilas também iam dar enorme retorno...

Na China seriam FUZILADOS por ROUBAR os CONTRIBUINTES!
CHULO*S DESPESISTAS RUINOSOS!

Piter 26.07.2017

O amigo Francisco António que passe por Barcelona (que celebra os 25 anos sobre os seus Jogos) e que tire também as suas devidas conclusões. Barcelona antes de 92 não era nada no panorama internacional. Seria tremendo se Lisboa um dia se candidata-se a organizar uns Jogos, mas isso, nem em 2050...

Francisco António 25.07.2017

Acaso esta gente acreditará no que diz ? O Festival da Eurovisão só tem um rival a nível nacional: A Festa do Avante mas com vantagem para a Festa do Jerónimo. Jogos Olímpicos, Mundiais ou Europeus de Futebol são sempre deficitários ! Passem pelo Rio de Janeiro e tirem conclusões...

ver mais comentários
pub