Imobiliário Lisboa: Investidores estrangeiros gastaram mais 40% que os portugueses no imobiliário

Lisboa: Investidores estrangeiros gastaram mais 40% que os portugueses no imobiliário

Nas principais freguesias de Lisboa, onde o investimento em imobiliário é mais relevante, os investidores estrangeiros gastaram, em média, mais 40% do que os portugueses que compraram nas mesmas zonas. Os números são do Confidencial Imobiliário que analisou o período de Janeiro de 2016 a Junho de 2017.
Lisboa: Investidores estrangeiros gastaram mais 40% que os portugueses no imobiliário
Filomena Lança 04 de dezembro de 2017 às 15:46

Os estrangeiros que adquiriram imóveis nas freguesias de Lisboa de Ajuda, Alcântara, Arroios, Avenidas Novas, Belém, Campo de Ourique, Estrela, Misericórdia, Santa Maria Maior, Santo António e São Vicente investiram, em média, 338 mil euros. Este valor está cerca de 40% acima dos 244 mil euros investidos por aquisição, em média, pelos portugueses nestas zonas no mesmo período.

 

Os números são do Confidencial Imobiliário, que segue estas 11 freguesias e analisa periodicamente o investimento imobiliário aí realizado, seja em número de transacções, seja em valor envolvido ou nacionalidade dos investidores.

 

Nestas zonas concretizaram-se 7.300 transacções no período em análise. Destas, 1.300, o equivalente a 18%, foram protagonizadas por investidores estrangeiros. Fazendo a conta aos valores envolvidos, o peso dos cidadãos estrangeiros sobe para os 24%, acrescenta o Confidencial Imobiliário. Contas feitas, os internacionais geraram cerca de 446 milhões de euros do total dos 1.900 milhões de euros transaccionados em habitação nesse mercado.

 

Tal como o Negócios já noticiou, entre os compradores que foram ao mercado neste período estão cidadãos e empresas provenientes de 84 países, abrangendo os cinco continentes. No entanto, o destaque vai para os chineses e franceses que protagonizaram, respectivamente, 21% e 20% do volume de investimento realizado por estrangeiros.

 

Na posição seguinte surgem os brasileiros, que geraram 10% do investimento neste período, e depois os compradores do Médio Oriente, com uma quota de 8%, revela ainda o Confidencial Imobiliário.

Em termos de freguesias, a da Misericórdia foi a que teve maior procura, concentrando 22% do número de transacções, num total de 103 milhões de euros de investimento. Contas feitas, em média foram 347 mil euros por imóvel.

 

Santa Maria Maior foi outra das zonas com maior sucesso, contabilizando 15% das compras e um investimento de 60 milhões de euros. O investimento médio foi de 328 mil euros. Finalmente, destaca-se a freguesia de Arroios, com quase 14% das transacções e 48 milhões de euros aplicados, o que representa um valor médio de investimento na ordem dos 260 mil euros.

 

Ao todo, a Misericórdia, Santa Maria Maior e Arroios concentraram 47% do montante investido e metade das operações realizadas por estrangeiros nos 18 meses em análise.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub