Indústria Lítio: Savannah Resources anuncia resultados "excepcionais" na pesquisa em Barroso

Lítio: Savannah Resources anuncia resultados "excepcionais" na pesquisa em Barroso

Depois de ter entrado em Maio na pesquisa de lítio em Portugal, a Savannah Resources disse ter identificado "intersecções significativas de mineralização de lítio" na Mina do Barroso.
Lítio: Savannah Resources anuncia resultados "excepcionais" na pesquisa em Barroso
Bloomberg
Paulo Zacarias Gomes 13 de dezembro de 2017 às 18:31
A empresa mineira Savannah anunciou ter obtido resultados "excepcionais" nas suas actividades de prospecção de lítio em Portugal, tendo detectado na Mina do Barroso o que diz ser algumas das melhores intersecções deste mineral conhecidas até ao momento na Europa.

Num comunicado enviado ao mercado, a empresa refere ter identificado "intersecções significativas de mineralização de lítio" nos três depósitos que estão em análise através da tecnologia "reverse circulation drill" (trituração da rocha por compressão e envio do material à superfície).

"A Savannah acredita que estas representam algumas das melhores intersecções de lítio em espodumena [uma das formações minerais em que pode ser encontrado o mineral (a outra é a petalite)] jamais conhecidas num depósito europeu," refere a nota divulgada esta quarta-feira, 13 de Dezembro.

Em causa estão 66 perfurações realizadas em três áreas. No depósito de Grandão, o mais relevante, foi identificada uma zona de mineralização com mais de 400 metros de extensão e 150 metros de profundidade. E um dos mais elevados teores de óxido de lítio: 2,1%.

Já na de Reservatório detectou-se uma zona com 400 metros de extensão e 100 de profundidade e na outra área, denominada NOA uma com 200 metros de extensão e 50 de profundidade.

As amostras retiradas destes locais (cerca de 100 quilos) estão a ser testadas no laboratório Nagrom em Perth, Austrália, esperando-se resultados dos testes de metalurgia no início do ano que vem.

A Savannah anunciou em Maio a entrada na prospecção de lítio em Portugal, o mineral metálico usado no fabrico de baterias usadas na electrificação automóvel e doméstica. A entrada aconteceu através do anúncio da compra de uma posição maioritária de 75% na Slipstream Investments, a empresa que detém os direitos de exploração de quartzo, feldspato e lítio na Mina do Barroso, concelho de Boticas, Trás-os-Montes.

O acordo inclui uma área de 542,12 hectares (5,42 quilómetros quadrados), além de quatro zonas em que falta ainda obter licenças e que totalizam mais 1.018 quilómetros quadros: Covas do Barroso, Serra d’Arga, Barca d’Arga e Tâmega.

Se vier a ser comprovada a viabilidade de extracção – nomeadamente o potencial de 7,5 milhões de toneladas de mineral com um teor de óxido de lítio não inferior a 1% - as três fases de pagamento ao vendedor levarão a cifrar este negócio em 10,1 milhões de dólares australianos (6,72 milhões de euros à cotação actual), entre pagamentos em dinheiro (2,66 milhões de euros) e em acções (60 milhões de novas acções, avaliadas em cerca de 4 milhões de euros).

Segundo o comunicado da empresa em Maio, a primeira transacção já implicou o pagamento pela Savannah de 1 milhão de dólares australianos (cerca de 665 mil euros à cotação actual), além da emissão de 20 milhões de novas acções. Não são avançados valores para investimentos futuros na exploração.

A 14 de Março deste ano, o Diário da República dava conta que a Imerys Ceramics Portugal tinha transmitido a sua posição contratual na Mina do Barroso para a Slipstream Resources Portugal Unipessoal, Lda, sediada em Braga e de origem australiana. Os trabalhos anteriormente desenvolvidos no local previam o uso de minerais na produção de cerâmicas (em que o lítio ajuda a baixar o ponto de fusão das pastas, reduzindo o gasto de energia) e não no mercado de baterias.

A mina terá já um plano mineiro aprovado, além do estudo de impacte ambiental e licença válida por 30 anos desde a data de concessão, até 2036. E será "um dos mais avançados projectos de desenvolvimento de lítio na Europa com maior potencial de rapidamente passar à fase de produção."



Saber mais e Alertas
pub