Transportes Lucro da Brisa sobe 17,3% até Setembro

Lucro da Brisa sobe 17,3% até Setembro

As receitas de portagem da Brisa Concessão Rodoviária cresceram 7,4% nos primeiros nove meses do ano para quase 394 milhões de euros. Os resultados líquido da empresa aumentam 17,3%.
Lucro da Brisa sobe 17,3% até Setembro
Bruno simão
Maria João Babo 24 de Novembro de 2016 às 12:34

A Brisa Concessão Rodoviária (BCR), responsável pela concessão principal da Brisa, registou nos primeiros nove meses deste ano um resultado líquido de 72,1 milhões de euros, mais 17,3% do que no mesmo período de 2015.

Numa apresentação aos investidores divulgada esta quinta-feira na CMVM, a BCR refere que até Setembro as receitas operacionais subiram 6,7% para 402 milhões de euros, sendo que só os proveitos de portagens cresceram 7,4% neste período para 393,7 milhões de euros.

Até Setembro o tráfego aumentou 7,1%, abaixo da subida de 7,2% atingida no mesmo período de 2015, mas as receitas de portagem cresceram acima dos 7% que se registavam há um ano.

Os custos operacionais aumentaram, por seu lado, 1,5% para 93,4 milhões de euros, com os custos com pessoal da concessionária responsável pelas principais auto-estradas do grupo liderado por Vasco de Mello crescido 7,4% para 1,2 milhões.

Nos primeiros nove meses do ano o EBITDA da BCR avançou 8,4% face ao mesmo período de 2015 para 308,6 milhões de euros, com a margem EBITDA a aumentar 1,2 pontos percentuais para 76,8%.

O resultado operacional (EBIT) registou um acréscimo de 12,2% para 181,4 milhões. Os resultados financeiros passaram de 76,7 milhões negativos em Setembro de 2015 para 80,7 milhões, também negativos, no final do terceiro trimestre deste ano.

Os resultados antes de impostos cresceram, no período em análise, 18,7% para 100,8 milhões.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub