Comércio Lucro da Jerónimo Martins sobe para 173 milhões de euros até Junho

Lucro da Jerónimo Martins sobe para 173 milhões de euros até Junho

A dona do Pingo Doce fechou o primeiro semestre com um lucro de 173 milhões de euros, um ligeiro crescimento de 0,6% que continua a ser impulsionado pela operação na Polónia.
A carregar o vídeo ...
Sara Ribeiro 26 de julho de 2017 às 17:29
De Janeiro a Junho deste ano a Jerónimo Martins registou um resultado líquido de 173 milhões de euros, um valor que representa um ligeiro aumento de 0,6% face ao mesmo período do ano anterior, mas inferior às estimativas dos analistas que apontavam para um crescimento de 5% para 180 milhões de euros no primeiro semestre.

No entanto,excluindo o impacto da Monterroio, subsidiária que vendeu em 2016 por 310 milhões de euros, os resultados cresceram 5,5%, detalha a empresa em comunicado emitido esta quarta-feira, 26 de Julho, à CMVM.

O desempenho da actividade na Polónia, onde o grupo opera através da Biedronka, continua a ser o motor de crescimento dos resultados da empresa liderada por Pedro Soares dos Santos (na foto).

No total, as vendas consolidadas da Jerónimo Martins alcançaram 7,7 mil milhões de euros, um aumento de 11,4%.

Ao nível do LFL (like-for-like, ou seja, crescimento das vendas nas lojas que operaram sob as mesmas condições), a evolução situou-se em 6,9% no primeiro semestre.

O EBITDA (resultados antes de juros, impostos, amortizações e depreciações), seguiu a mesma tendência, tendo crescido 7,2% para 416 milhões de euros.

Polónia vale 68% das vendas do Grupo

Analisando os números por mercado, a Polónia continua a aumentar o seu peso total nas vendas da Jerónimo Martins. No primeiro semestre, a Biedronka gerou 5,3 mil milhões de euros, um valor que representa um aumento de 13,4% das vendas face ao mesmo período de 2016 e cerca de 68% do total das receitas do grupo.

Em comunicado emitido esta quarta-feira, 26 de Julho, à CMVM, o grupo explica que "a Biedronka manteve o seu foco no consumidor e aumentou o investimento nas promoções de produtos que registaram uma inflação significativa nos últimos meses, reforçando assim o seu posicionamento de preço".

"Como resultado desta estratégia", explica a dona do Pingo Doce, "o aumento do crescimento das vendas - para além do efeito da Páscoa e da inflação mais elevada - compensou totalmente os desafios levantados pela existência de uma base de comparação mais difícil". O LFL, nos primeiros seis meses do ano, cifrou-se em 9%.

No período em análise a empresa abriu ainda mais 29 lojas na Polónia, contando no final de Junho com um total de 2.741 espaços.

Já a rede de parafarmácias Hebe, que também detém na Polóni, teve vendas de 75 milhões de euros, um aumento de 36%.

No que respeita à actividade em Portugal, a cadeia Pingo Doce "manteve a intensidade das promoções na sua oferta comercial", e registou um aumento de 3,1% das vendas para 1,7 mil milhões de euros com um LFL (excluindo venda de combustível) de 0,9%.

O grupo destaca que o sector do retalho alimentar em Portugal "manteve-se competitivo e promocional, com o canal Horeca (Hotéis, restaurantes e cafés) a continuar "a beneficiar da forte actividade turística".
Já o Recheio (grossista) registou um aumento de 8,6% das vendas para 442 milhões de euros.

No mercado colombiano, onde o grupo está presente através da insígnia Ara, o contributo foi de 185 milhões de euros, "81,9% acima do ano anterior". Na primeira metade do ano, foram inauguradas mais 49 lojas Ara, com a rede a somar 269 localizações no final de Junho.

O objectivo do grupo é abrir pelo menos 150 novas lojas Ara este ano e construir "três novos centros de distribuição que estarão operacionais no início do próximo ano".

De Janeiro a Junho a Jerónimo Martins investiu 249 milhões de euros, em linha com o plano apresentado pelo grupo, com a Biedronka e a Ara a concentrarem a maior fatia.

No total, a empresa prevê investir 700 milhões de euros durante este ano, "com a execução dos programas de remodelações, quer na Biedronka quer no pingo Doce, a continuarem a ser uma prioridade", destaca a empresa.

(Notícia actualizada às 17:56 com mais informação)



A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
AMANHÃ BCP A 0,28€ .... É a VIDA Há 3 semanas



AI TANTA DOR AMANHÃ PARA OS RESSABIADOS DO MILENIUM BCP

BCP AMANHÃ CAI -- LHES OS CORNOS Há 3 semanas





AQUELES QUE HOJE ANDAM A MARRAR O BCP 2% PARA BAIXO AMANHÃ COM OS SEU SUPER RESULTADOS VÃO VÊ -- LO SUBIR 8 % PARA CIMA ATÉ OS CORNOS LHES VÃO CAIR E VÃO PASSAR o FIM DE SEMANA ENCHARCADOS EM XANAXES

pub
pub
pub
pub